Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O aumento desenfreado do número de casos de pessoas infectadas com o novo Coronavírus, vírus que causa a Covid-19, nos municípios do interior do Amazonas tem preocupado órgãos de fiscalização e controle.

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM), através da Procuradoria Geral de Justiça, recomentou na semana passada que os municípios de Guajará, Ipixuna, Envira, Boca do Acre e Pauini devido à logística e distanciamento com a capital, localizados no Sul do Amazonas, recebam atendimento na área da saúde de outros estados, como o Acre, principalmente durante a pandemia.

A logística e a distância dessas cidades à Manaus, que tem melhor estrutura para atendimento em saúde, é um problema que não está sendo levado em conta e faz com que a população fique desassistida, na maioria das vezes. A avaliação é do engenheiro ambiental José Antonio Bezerra, especialista na área.

O engenheiro afirma à REVISTA CENARIUM que o governo precisa intensificar as medidas preventivas para essas comunidades mais distantes, evitando assim que pacientes infectados pela Covid-19 avancem para a na fase de internação.”O acesso a esses municípios é, de fato, bem difícil. Como é de conhecimento de todos, os atendimentos ficam comprometidos pelos meios de transporte”, disse.

Segundo o especialista, o Amazonas possui particularidades no que diz respeito à logística quando se trata de localização e acesso.

“Nossos municípios têm suas dificuldades e nossos meios de transportes fluviais, terrestres e aéreos possuem custos elevados e com isso, a população fica, na maioria das vezes, desassistida”, pontuou.

Convênio

Na última semana, a Procuradoria-Geral de Justiça do Amazonas e as promotorias de Justiça do Sul do Estado expediram recomendação conjunta ao governador Wilson Lima e à secretária de Estado da Saúde (Susam), para dar atenção ao atendimento dos pacientes com sintomas de síndrome respiratória aguda e suspeita de Covid-19, que residem nos municípios de Boca do Acre, Envira, Guajará, Ipixuna e Pauini. Segundo a assessoria do MP-AM, o governo ainda não retornou à solicitação da promotoria.

A recomendação é assinada pela Procuradora-Geral Leda Mara Nascimento Albuquerque, e pelos promotores de Justiça Iranilson Ribeiro (Guajará e Ipixuna), Priscila Pini (Envira), e Miriam da Silveira (Boca do Acre e Pauini),

Problema histórico

O MP-AM afirma que o problema com os municípios mencionados é histórico, pois hospitais do interior não têm condições para atendimento de complexidade. Para algumas cidades, considerando a logística, torna-se melhor que pacientes sejam encaminhados para outros estados do que para a capital Manaus.

A distância média entre as cidades até Manaus, ultrapassa 1 mil quilômetros, via aérea e fluvial, em alguns casos e são as únicas formas de acesso a essas cidades.

O prefeito de Envira, Ivon Rates (PROS), disse estar satisfeito com o posicionamento do Ministério Público, no que diz respeito à migração de atendimento para outros estados, como o Acre.

“Fico feliz que a promotoria tenha tomado a atitude, pois, temos feito a nossa parte. O avião que levaria quatro horas de Manaus até o município e mais quatro (horas) para voltar, em duas horas, ele vem e retorna à Rio Branco com o paciente. Seria algo mais benéfico a saúde das pessoas”,

De acordo com Rates, desde a gestão de Amazonino Mendes (Podemos), a prefeitura tem buscado tratativas com o governo do Amazonas, no sentido de firmar pacto que prevê o atendimento de pacientes do município de Envira e adjacentes, de qualquer patologia, pelo estado do Acre, na capital Rio Branco, cujos hospitais locais e as unidades básicas de saúde não possam resolver.

“Em contrapartida, o Amazonas se compromete em atender, aquilo que para o estado do Acre for prioridade dentro desse pacto. Durante a gestão de Amazonino, o governo não deu importância devido à Saúde e estamos trabalhando para que o atual governo firme a parceria”, destacou.

Apesar do município ainda não ter casos da doença, o prefeito afirmou que tem adotado todas as recomendações de distanciamento e isolamento social, além de educado à população quanto as medidas medidas preventivas da pandemia.

Amazonas diz que já mantém convênio

Em nota, o governo do Amazonas informou que já mantém convênio com o governo do Acre para atendimento de pacientes na rede de saúde do estado vizinho. “Essa cooperação já existente, não há um termo específico para Covid-19. Os esclarecimentos serão prestados aos órgãos de controle”, diz trecho da nota.

A reportagem entrou em contato com o governo do Acre para esclarecimentos sobre o atendimento no Sul do AM durante a pandemia, mas até o momento desta publicação, não obteve resposta.