Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do site Rondônia Ao Vivo

RONDÔNIA – O EP “Pachamama”, do cantor A Black Z, é reflexo de processos de estudos e pesquisas sobre a degradação ambiental que vem destruindo um dos mais belos biomas do mundo, a Amazônia.

“Nosso quintal está em chamas e não temos outro instrumento para combater o fogo, a não ser a conscientização. Nesse a arte é um importante meio para se provocar reflexão e transformação no pensamento da sociedade”, diz Édier William, autor das letras das canções do EP.

Partindo dessa premissa, conta o cantor A Black Z, foram produzidas canções não apenas trouxessem as mensagens de enaltecimento da “mãe terra”, como “também tivessem uma pegada dançante, chiclete e por consequência fosse comercial”, afirma o músico.

Capa do clipe Pachamama (Reprodução)

O mercado fonográfico é extremamente complexo, mas estudar o universo musical e suas facetas exitosas antes de criar obras que tenham público alvo específico aumenta em muito as chances. O EP Pachamama tem grandes chances de que as músicas tenham uma boa carreira no mercado.

O EP composto por três músicas que partem do carimbó em direção ao pop apocalíptico, chega às plataformas de straming no dia 15 de Julho de 2021.

Juntamente com o EP, será lançado o clipe da faixa single “Pachamama”. A obra, que é dirigida pelo compositor da canção, o multiartista Édier William, conhecido por ser um criador audiovisual atuante no mercado cultural rondoniense, traz diversas metáforas sobre a relação do homem com o meio que o cerca.

Clipe Pachamama

O diretor se banha em referências de grandes filmes como “Labirinto do Fauno” e se inspirada nos elementos fogo e água, para produzir um clipe que desdenha dos padrões narrativos/ estéticos que estamos acostumados ver em clipes.

A Black Z

O cantor é um homem preto gay, filho de mãe solo, nasceu no Maranhão, mas se tornou rondoniano quando a mãe veio para Rondônia.

A Black Z descobriu na música uma válvula de escape para toda a pressão que sente por existir em um mundo tão desigual e perigoso para alguém que se aceita preto e gay. Com sua voz potente, fez covers de Tim Maia, tocou em bares, casamentos e outras festas.

Em 2019 conheceu seu produtor Édier William e juntos começaram a produzir os trabalhos que estão sendo lançados.

Lei Aldir Blanc

Esse projeto é fomentado com recursos da Lei 10.017/2020 – Lei Aldir Blanc – por meio da Prefeitura Do Município De Porto Velho – Funcultural. Trabalhos como esse mostram a importância de iniciativas de fomento à produção cultural, sobretudo, fomento realizado de forma descentralizada.

Artistas como A Black Z raramente conseguem se ascender no mercado, mas os recursos oriundos da Lei Aldir Blanc permitiram que muitos artistas invizibilizados conquistassem voz e espaço para sua arte.

Para assistir ao CLIPE MUSICAL acesse: