‘Acompanhar de perto a situação do atendimento a população’, diz Teich ao anunciar visita no AM

Carolina Givone – Da Revista Cenarium

MANAUS – O novo ministro da Saúde Nelson Teich, informou via twitter que chega na capital amazonense neste domingo, 2. Essa será a primeira vez que um ministro visita a cidade, desde o inicio da pandemia do novo coronavírus.

O Amazonas é um dos estados com maior índice de infecção da covid-19, com taxa de letalidade de 8,26%, a doença já causou 501 mortes na capital e interior do Estado.

Teich se reunirá com o governador Wilson Lima e o prefeito Arthur Neto, para desdobrar ações voltadas à saúde no Estado, que enfrenta a subnotificação dos casos e um colapso no sistema de atendimento e funerário.

Segundo informações preliminares, o ministro deve visitar os principais hospitais de enfrentamento à covid-19, como o Delphina Aziz, e o Hospital municipal de Campanha Gilberto Novaes.

Reforço

O ministro também pode anunciar oficialmente a contratação federal de 267 profissionais de saúde, que vão atuar no enfrentamento à Covid-19. Ao todo, são 37 médicos, 118 enfermeiros, 57 técnicos em enfermagem, 26 fisioterapeutas, 12 farmacêuticos e 17 biomédicos. Estes profissionais se inscreveram na ação estratégica “O Brasil Conta Comigo”.

A iniciativa está cadastrando e capacitando profissionais, residentes e estudantes da área de saúde de todo o país para atuarem no atendimento à população diante da pandemia de coronavírus, em apoio aos estados e municípios que mais precisam. A contratação destes profissionais é temporária, por até seis meses, e remunerada de acordo com o salário base de cada categoria.

Repercussão nacional

Após a repercussão nacional de sepultamentos em valas comuns nos cemitérios, na semana passada foi anunciado o recebimento de três mil urnas funerárias no Amazonas, para que não haja desfalque às funerárias locais.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO