Sem quarentena adequada, AM registra 10 mortes ao dia por Covid-19, segundo Susam

Nícolas Marreco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Amazonas registrou nesta terça-feira, 14, 209 novos casos do coronavírus (SARS-CoV-2) e 19 mortes causadas pela Covid-19. Ao todo, são 1.484 pessoas infectadas e 90 óbitos. A taxa de letalidade do vírus, segundo a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), subiu para 6% – maior que a média nacional.

Manaus é o centro da contaminação do vírus, comportando 87, 2% dos casos, sendo 1.074 pessoas. Mais de 70% de todos os casos confirmados são pessoas em isolamento domiciliar, que apresentaram sintomas leves da doença. No interior, 18 municípios estão com 189 pessoas infectadas, sendo Manacapuru a com mais números da pandemia: 100 casos e três óbitos.

Uma das maiores preocupações é sobre o assistencialismo aos pacientes que precisam ser internados, visto que a capacidade da rede privada está em 100%, segundo a diretora-presidente da FVS, Rosemary Pinto. A medida de emergência do governo é a abertura do hospital universitário Nilton Lins para desafogar os atendimentos principalmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A secretária de estado de saúde, Simone Papaiz, revelou que ainda não há data definida para o funcionamento do hospital, embora o governador Wilson Lima (PSC) tenha mencionado na semana passada uma previsão de 10 dias. “As contratações dos serviços de assistencialismo (médicos e enfermeiros) e da instalação da rede de gases está bem adiantada. A maior dificuldade é a oferta de mão de obra especializada”, explicou a secretária.

O formato de contratação de recursos humanos para terceirização (lavanderia e segurança, por exemplo) também já foi acertado. Na primeira etapa de abertura dos trabalhos do hospital, dez leitos de UTI e 100 leitos clínicos serão disponibilizados. Assim, gradualmente, conforme Simone, mais instalações médicas funcionarão seguindo a quantidade de profissionais.

Delphina Aziz

Ainda segundo Simone, a prioridade do governo é estender ao máximo a capacidade operacional do hospital de referência na entrada de pacientes com Covid-19, Delphina Aziz. Atualmente, 203 leitos estão em operação; inicialmente, eram 134. A capacidade máxima do hospital é de 350 leitos, clínicos e UTIs, segundo a titular da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

“Foi um aumento progressivo da implantação de leitos de salas vermelhas, de enfermaria e de UTI. A ideia é avançar o quanto antes na capacidade máxima física e estrutural”, completou. A chegada de profissionais via programa em parceria com o governo federal também irá somar a cobertura assistencial no estado. Na primeira etapa do programa, de 16 a 24 de abril, 15 profissionais entre médicos e enfermeiros irão integrar as equipes nos hospitais de alta complexidade.

Todos eles já virão testados para o coronavírus, dispensando isolamento. Centros de triagem para bombeiros e profissionais da saúde também estão em negociação para a implantação nos próximos dias. Um aplicativo foi desenvolvido para a testagem de sintomas de Covid-19 em profissionais da saúde.

Números do coronavírus

Ao todo, 686 estão internados, sendo 149 confirmados. Destes, 79 estão em leitos clínicos e 70 em UTIs, com 31 pacientes na rede privada e 39 na rede pública. Os 537 internados com síndromes respiratórias agudas graves, suspeitos do Covid-19, estão divididos em 417 em leitos clínicos e 120 em UTIs. Ao todo, 190 estão em UTIs, com risco alto de vida, conforme ressaltou a FVS.

 Dos 120 óbitos notificados, 90 foram confirmados por Covid-19, 17 descartados e 13 estão em investigação. 590 exames estão aguardando confirmação do laboratório especializado e 171 pessoas, que estavam com o coronavírus, estão fora do período de transmissão do vírus.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO