Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações da Folha de S.Paulo

BRASÍLIA – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na segunda-feira, 29, o primeiro tratamento para HIV que combina duas diferentes substâncias em um único comprimido. O novo medicamento, chamado de Dovato, é uma combinação das substâncias lamivudina e dolutegravir sódico.

Segundo a Anvisa, a possibilidade de dose única simplifica o tratamento e a adesão dos pacientes. Já há terapias com um único comprimido para HIV, mas esse é o único em dose única para ser usado no início de tratamento – a chamada primeira linha.

A Anvisa havia informado, inicialmente, na segunda-feira (29) que esse seria o primeiro medicamento com um comprimido por dose para tratamento de HIV, mas depois esclareceu que era o primeiro para início do tratamento.

“A aprovação representa um avanço no tratamento das pessoas portadoras do vírus que causa a Aids, já que reúne em uma dose diária dois antirretrovirais que não estavam disponíveis em um só comprimido”, disse a agência reguladora, em nota.

De acordo com a bula aprovada pela Anvisa, o novo medicamento reduz a quantidade de HIV no organismo, mantendo-a em um nível baixo.

Além disso, promove aumento na contagem das células CD4, tipo de glóbulo branco do sangue que exerce papel importante na manutenção de um sistema imune saudável, ajudando a combater as infecções.

O medicamento poderá ser indicado como um regime completo para o tratamento da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) em adultos e adolescentes acima de 12 anos pesando, pelo menos, 40 kg, sem histórico de tratamento antirretroviral prévio ou em substituição ao regime antirretroviral atual em pessoas com supressão virológica.

O registro foi concedido ao laboratório GlaxoSmithKline Brasil Ltda., que, para isso, apresentou estudos de eficácia e segurança com dados que sustentam as indicações autorizadas.

A empresa disse, em nota, que a aprovação do Dovato é apoiada pelos estudos globais que incluíram mais de 1.400 adultos vivendo com HIV, e pelos resultados do estudo Tango, apresentados na Conferência Internacional da Sociedade de Aids sobre Ciência do HIV 2021.

“Aproximadamente metade das pessoas que vivem com HIV e fazem uso de terapia antirretroviral utilizam dolutegravir em seus tratamentos”, disse em nota a farmacêutica.