27 de fevereiro de 2021

Ana Pastana – Da Revista Cenarium

MANAUS – Para orientar os indígenas sobre a imunização contra a Covid-19, cobrar o governo federal para ampliar o plano de vacinação de todos os indígenas e combater a fake news, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) promove semanalmente a live do projeto “Vacina Parente”.

O projeto é encabeçado por mulheres das principais etnias indígenas, que se reúnem virtualmente para discutir, cobrar e conscientizar os povos incluídos no grupo prioritário sobre a imunização que, por conta da não obrigatoriedade, se torna opcional a aplicação.

“A vacina chegou, mas a pandemia ainda não acabou, nós precisamos seguir orientando nossos parentes. Primeiro, orientar para tomarem a vacina. Segundo, pressionar o governo para disponibilizar vacina para os parentes que estão em todos os lugares desse Brasil”, disse Sônia Guajajara.

Prioridades

Segundo Sônia, os povos indígenas foram inclusos no grupo prioritário da imunização por meio de recurso solicitado pela Apib ao Supremo Tribunal Federal (STF). “Isso é resultado de muita luta para garantir atendimento para os povos indígenas, pra garantir que o estado brasileiro elaborasse um plano da união de enfretamento contra a pandemia”, informou.

O projeto também pretende levar informações verídicas e combater fake news. “Precisamos levar informações positivas sobre a importância de vacinar, pois existem mentiras de cunho político e religioso rolando e a gente precisa esclarecer essas mensagens negativas que chegam nas aldeias”, ressaltou Guajajara.

Exclusão

O debate mediado por Sônia Guajajara ainda foi composto pela lideranças femininas Célia Xakriabá, Puyr Tembé, Shirley Krenak, Elisangela Baré e
Giandria Kaba Munduruku, bem como América Tembé, Taty Macuxi, Marcilene Guajajara e Raquel Tremembé.

A abordagem ampla discutiu detalhes do plano de vacinação, que excluiu da campanha de imunização contra Covid-19 cerca de 379.535 mil indígenas, 42,3% de uma população estimada à época em 896,9 mil pelo censo demográfico realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010.

O plano de imunização federal que prevê somente a vacinação de 517.383 mil (57,7%) dos indígenas que vivem em Terras Indígenas (TI) também foi debatido por Francisca Arara, Exna Pataxó, Braulina Baniwa, Marciane Tapeba e Dilma Kayabi que também estiveram presentes na transmissão ao vivo, no Facebook da Apib. O evento durou cerca de duas horas.