Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
20 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Thiago Fernando – Da Revista Cenarium

“É durante as piores crises que surgem as grandes oportunidades”. Foi fazendo jus a célebre frase que gigantes tecnológicas como Google e Apple, aproveitaram a pandemia mundial do novo Coronavírus para desenvolver e popularizar seus aplicativos de conversa.

Redes sociais como Whatsapp, Facebook e Instagram disponibilizaram atualizações para oferecerem recursos de videochamada para falar com os amigos. Outros apps ganharam força como o Discord e o Zoom. Assim, empresas, escolas e órgãos públicos conseguiram manter o funcionamento mesmo com o isolamento social.

Lançado em 2011, o aplicativo Zoom ganhou muitos adeptos durante a quarentena, principalmente por ter disponível uma versão grátis. Criado pela empresa americana de serviços de conferência remota Zoom Video Communications, a plataforma fornece um serviço que facilita a realização de videoconferência, reuniões online, bate-papo e colaboração móvel.

O app foi o escolhido pelo professor de língua inglesa Pierre Teixeira, 48 anos, para manter seu cronograma de ensino.

“Testei alguns aplicativos no começo da pandemia como o Skype e o WhatsApp. Acabei conhecendo o Zoom e decidir manter até pela facilidade de não precisar ter uma conta especifica nessa ou naquela plataforma . Acabo compartilhando um link pelo grupo do WhatsApp e eles podem acompanhar as aulas pelo Zoom. Até o momento, eles estão confortáveis e adotaram o app para o uso pessoal”, explicou Teixeira.

O professor Pierre Teixeira (fundo azul) conseguiu manter o cronograma de aulas durante a quarentena (Divulgação)

Questionado sobre a adaptação dos alunos ao novo sistema de ensino, o professor explicou que essa migração para a sala virtual resultou em bons resultados, chegando a surpreender em alguns casos. Todavia, a falta de acesso a internet afetou alguns estudantes.

“Desde que as aulas presenciais foram suspensas, procuramos seguir com a programação através das aulas online. Até aqui, conseguimos manter um bom andamento. Notei que, aqueles alunos que conseguiram migrar para esse ambiente virtual, estão tendo um desempenho muito bom, chegando até a surpreender. Porém, alguns não conseguiram migrar por causa da internet ou por não terem um dispositivo que comporte os aplicativos”, informou o professor.

Skype
Funcionando desde agosto de 2003, o consolidado aplicado Skype é outra opção para quem precisa realizar vídeos chamadas durante o isolamento social. Disponível nas versão IOS, Android e Web, o software foi o escolhido pelo administrador de empresa Mauricio Sena, 29 anos, durante o isolamento social.

O Skype conta com versões para computadores e celulares

“Devido a empresa onde trabalho já contar com um sistema remoto desde 2017, não tive problemas para me adaptar a essa nova rotina. Assim, por só precisar me reunir com apenas uma pessoa ou realizar algum atendimento técnico, escolhi o Skype. Por já ser popular, muitas pessoas do meu trabalho e clientes já tinham conta e acesso a ele”, disse Sena.

Microsoft teams

Apesar do isolamento social, muitos setores administrativos do Governo do Estado não podem parar. Foi justamente para minimizar os dados da quarentena que o Setor de Controle Interno da Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) adotou o Microsoft teams.

Para quem não conhece, a plataforma unificada de comunicação foi lançada pela empresa americana Microsoft e disponibiliza acesso a bate-papo, videoconferências, armazenamento de arquivos e integração de aplicativos no local de trabalho.

A Microsoft disponibiliza o app de forma gratuita

Membro do Controle Interno da SSP, Brunna Parente, 33 anos, informou que antes do app ser adotado, a equipe do setor passou por um treinamento para saber como melhor utilizar. Além disso, boa parte dos processos tiveram que ser digitalizados.

“Estamos trabalhando por home office, utilizando alguns aplicativos para o desenrolar de nossas atividades. O setor de tecnologia disponibilizou as pastas compartilhadas para o trabalho em casa e recorremos às vídeos conferências para as reuniões. Já participamos de treinamentos via Windown teams, para operação de um novo sistema”, informou Brunna, que ainda complementou cotando que outros aplicativos como Zoom e Facetime são utilizados para reuniões.