6 de março de 2021

Com informações da Revista Fórum

MANAUS – O pastor Aizamarch Almeida, da Igreja Evangélica Luterana do Brasil, acompanhou o seu filho Juno, homem trans não binário, na ida ao cartório para realizar o pedido de alteração do nome e do gênero nos documentos. Ao portal Razões para acreditar, Juno e Almeida relataram um pouco de como foi esse processo de aceitação entre pai e filho.

Segundo relato de Juno, primeiro ele disse à família que era uma mulher lésbica, porém, isso não o ajudou muito. A assunção de sua identidade trans veio entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, quando alterou o seu nome no perfil de Facebook.

À época, o seu pai, o pastor Almeida ligou para ele para entender a mudança no nome nas redes. Foi durante esta conversa que Juno explicou ao seu pai que era uma pessoa trans não binária, ou seja, que não se identifica com o gênero masculino nem com o feminino.

O pai de Juno mora em Campina Grande (PB), mas fez questão de viajar até o Recife (PE) para acompanhar o filho no processo de alteração dos documentos. Juno revelou que tal atitude de seu pai “foi muito importante, porque me senti apoiado, fortalecido. A segurança para me impor como Juno aumentou. Poderia ter feito tudo sozinho de alguma forma; muitos de nós o fazem. Mas, nossa solidão não é normal e não pode ser naturalizada”.