7 de março de 2021

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O governador de São Paulo, João Dória (PSDB), acatou o pedido de autoridades amazonenses e autorizou, nesta quinta-feira, 11, o envio, até o final de fevereiro deste ano, das 50 mil doses de vacinas contra o novo coronavírus ao Amazonas. Segundo o gestor, a destinação do imunizante será de forma escalonada.

“Com a garantia das autoridades do Amazonas de que as vacinas vão chegar até quem mais precisa, o governo de SP começa a enviar no final deste mês, de forma escalonada, lotes da vacina do Butantan contra Covid-19, até chegar a 50 mil doses”, escreveu o governador em uma publicação no Twitter na tarde de hoje.

Dória disse ainda que as vacinas Coronavac, desenvolvida pelo Instituo Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, não sairão da entrega destinada ao Ministério da Saúde e sim representam uma doação de São Paulo ao “povo do Amazonas”. “São Paulo está ao lado do Brasil para vencer a pandemia”, salientou o governador.

Envio havia sido suspenso

O envio das 50 mil doses da vacina Coronavac ao Estado amazonense havia sido anunciada no dia 17 de janeiro deste ano pelo próprio governador paulista. No entanto, os insumos ainda não foram encaminhados. Nessa quarta-feira, 10, João Dória chegou a suspender a ajuda, de forma temporária, por falta de “planejamento” e “controle” da vacinação.

Autoridades amazonenses como a presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB-AM), Grace Anne Benayon, chegaram a se posicionar pelo envio da vacina. Nesta quinta-feira, a seccional encaminhou ofício ao governador João Dória requisitando urgentemente o cumprimento da promessa.

Veja também: OAB-AM solicita que Dória cumpra promessa de enviar vacinas ao Amazonas

 “Precisamos salvar inúmeras vidas, salvar o comércio, a indústria e queremos saber quando essas vacinas vão chegar”, destacou Grace, ao afirmar que o envio é uma forma de promover uma melhoria das condições sanitárias do Estado do Amazonas, além de contribuir para diminuir a disseminação da nova cepa da Covid-19 pelo País.