Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Da Revista Cenarium*

MANAUS – O Facebook anunciou nesta quarta, 22, que criará equipes internas para avaliar o viés racial de seus algoritmos. O objetivo principal é avaliar se a inteligência artificial por trás do Facebook e do Instagram trata com equidade grupos minoritários, como negros e hispânicos. 

A decisão acontece em dois momentos importantes para as discussões raciais nos EUA e o papel de redes sociais na disseminação de discursos de ódio: o assassinato de George Floyd, e o movimento Stop Hate for Profit, que promove boicote de anunciantes de Facebook por conta de suas políticas de remoção de discurso de ódio.

“A equipe terá a missão de garantir a presença de equilíbrio e equidade no desenvolvimento de tudo o que criamos”, afirmou a empresa em nota. Ao site The Verge, Vishal Shah, vice-presidente de produtos do Instagram, disse: “O movimento de justiça racial é um momento de significado para a nossa companhia. Qualquer viés em nossos sistemas e políticas estão em desencontro com oferecer uma plataforma para que todas possam se expressar”.  

A preocupação com o viés racial em inteligência artificial não é nova – especialistas, ativistas e empresas já debatem o tema há alguns anos. O Facebook, porém, sempre resistiu analisar os próprios processos em relação ao tema. Mudou com o movimento de boicote dos anunciantes, que se encerra no final deste mês de julho. Em junho, porém, a companhia anunciou que iria doar US$ 200 milhões para grupos que combatem a desigualdade racial nos EUA.   

(*) Com informações do Estadão Conteúdo