Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações do G1

O Ministério da Saúde informou que vai distribuir 104,8 mil doses da vacina CoronaVac aos Estados a partir de quinta-feira, 29. Mais cedo, levantamento do G1 revelou que cidades de ao menos 18 Estados suspenderam a aplicação da 2ª dose da CoronaVac por falta de imunizante nesta semana.

Na nota em que anunciou o envio das doses do imunizante contra a Covid-19, o governo federal não detalhou a origem desses imunizantes e qual o motivo para que a entrega não tivesse sido realizada antes.

A última remessa de doses do Instituto Butantan para o governo ocorreu há 8 dias (veja mais detalhes abaixo). Antes do anúncio feito na tarde de quarta-feira (28), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta manhã que iria regularizar a entrega dos imunizantes na semana que vem.

“Não [houve atraso] por responsabilidade do Instituto Butantan, mas em função dos trâmites. Alguns paciente fizeram a [aplicação da] primeira dose e, quando chegou o tempo, a segunda dose não estava disponível. Assim que chegar, pode fazer. Esperamos que semana que vem sejam distribuídas doses para que haja regularização nacional dessa 2ª dose”, afirmou Queiroga.

Além das doses da CoronaVac, o Ministério da Saúde informou que também vai entregar 5,1 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Entregas do Butantan

O Instituto Butantan enfrentou problemas com a entrega de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) vindos da China, matéria-prima para a produção da vacina. Por isso, admitiu que atrasaria em alguns dias a entrega dessas doses, começando no dia 3 de maio e estendendo o prazo final para 10 de maio.

A mais recente entrega do instituto ocorreu em 19 de abril, quando foram enviadas 700 mil doses. Ao todo, o Butantan entregou ao Ministério da Saúde 41,4 milhões de doses da CoronaVac. Com um novo lote com 600 mil doses previsto para sexta-feira (30), serão 42 milhões. Ainda faltam, portanto, 4 milhões de doses do primeiro contrato, que devem ser entregues em maio.