28 de fevereiro de 2021

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Após determinação judicial da 1ª Vara Federal no Amazonas, a Prefeitura de Manaus divulgou a lista oficial dos imunizados contra a Covid-19 na capital até esse domingo, 24. De acordo com a determinação, a prefeitura é obrigada a divulgar a lista até as 22h de cada dia, com os dados de quem foi vacinado até as 19h do mesmo dia.

Entre os vacinados, estão alguns servidores da Prefeitura de Manaus que estão na área de gestão e não diretamente na linha de frente : o secretário Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Sabá Reis; a titular Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), Shadia Fraxe, e Luís Cláudio de Lima Cruz, que também está na área de gestão da Semsa.

A lista possui 376 páginas e mais de cinco mil nomes, além de outras informações como: CPF, data da imunização, local onde foi realizada a vacinação, a qual grupo prioritário o imunizado pertence, o local de trabalho e a função que desempenha.

Leia mais: Médicas da família Lins ‘furam’ fila da vacinação após nomeação feita por David Almeida para Semsa

Usuários das redes sociais indicaram inconsistências em algumas informações divulgadas. No Twitter, por exemplo, o médico Luan Matos de Menezes informou que seu local de vacinação não foi na Maternidade Balbina Mestrinho, como consta na lista, e sim no Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz. Ele chamou atenção para que o vereador Amom Mandel apurasse as irregularidades encontradas.

Médico apontou irregularidade na lista de vacinados (Reprodução/ Twitter)

Ainda no Twitter, o vereador Amom Mandel Lins Filho apontou inconsistências na lista divulgada pela Prefeitura de Manaus ao identificar 12 nomes repetidos e 1.513 CPFs “errados”. O vereador também afirmou que as informações incorretas significam “falta de transparência” total por parte da Prefeitura de Manaus e que a mesma tem a obrigação de esclarecer essas questões.

Leia mais: Secretário nomeado por David Almeida já foi condenado pelo TCE-AM a devolver R$ 2,6 milhões

Vereador de Manaus, Amom Mandel, disse nesta segunda-feira, 25, que Prefeitura de Manaus tem obrigação de esclarecer informações (Reprodução/ Twitter)

Foi analisado também que menos da metade dos nomes que constam na lista não estão com os campos “lotação” e “cargo/função preenchidos”. O grupo de atendimento de alguns imunizados aparece listado como “Outros”, indicando uma indefinição referente a qual grupo pertencem.

Decisão Judicial

A determinação judicial foi apresentada pelos Ministérios Públicos Federal (MPF), do Estado do Amazonas (MP-AM), do Trabalho (MPT) e de Contas (MPC), em conjunto com as Defensorias Públicas da União (DPU) e do Amazonas (DPE-AM). Se descumprida, a ação pode acarretar em multa diária de R$ 100 mil.

A medida considera a ação civil pública movida por entidades públicas contra a suspeita de irregularidades no processo de aplicação dos imunizantes na capital.

Após o complemento da listagem, que será feito pela Secretaria Municipal de Saúde até o início da noite desta segunda-feira, 25, quando acaba o prazo de 72 horas concedido pelo Pleno do TCE, o Tribunal fará uma nova divulgação, agora com a lista completa, na terça, 26.