Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – Após ser identificado por internautas nesta terça-feira, 2, o homem que se “fantasiou” de Bruno, ex-goleiro do Flamengo, segurando um saco de lixo com o nome da modelo e atriz Eliza Samudio, deletou as redes sociais e foi demitido após zombar do crime. Segundo o estúdio de tatuagem El Cartel Tatuaria, Rodrigo Fernandes era sócio do estabelecimento, mas um acordo entre as partes resultou no desligamento dele da empresa.

Veja também: Em Manaus, homem faz apologia a feminicídio após usar ‘fantasia’ de goleiro Bruno e Eliza Samudio

“O estúdio elcarteltatuaria não compactua com qualquer tipo de incitação à violência contra mulher! Deixando bem claro que o colaborador foi demitido do estúdio, sendo assim não fazendo mais parte do quadro de funcionários”, declarou o estúdio, em nota nas redes sociais.

Apuração da REVISTA CENARIUM identificou que Rodrigo Fernandes tinha, na rede social Instagram, o perfil de trabalho com o nome de @rodrigofernandestattoo, segundo mostra publicações do estúdio de tatuagem. Em uma delas, a El Cartel Tatuaria cita Rodrigo como o artista responsável pela tatuagem de um numeral em uma pessoa ao marcar ele na postagem. Após a repercussão negativa com a exposição do homem fantasiado de Bruno, o Instagram dele aparece como inexistente.

Crime

O caso viralizou na internet nessa segunda-feira, 1º, após o perfil da rede social do Porão do Alemão, famosa casa de show em Manaus, compartilhar uma foto de Rodrigo com a fantasia. Defensores dos direitos das mulheres e ativistas políticos classificaram o caso como apologia ao crime e que a conduta do estabelecimento é passível de investigação.

O estabelecimento, que tem como proprietário o vereador da Câmara Municipal de Manaus (CMM), William Alemão (Solidariedade), afirmou que não compactua com apologia ao crime e declarou que a imagem foi publicada por um estagiário que desconhecia o assassinato.

A deputada estadual Joana Darc (PL), membro da Comissão de Defesa das Mulheres da Assembleia Legislativa dos Deputados do Amazonas (Aleam), comunicou nesta terça-feira, 2, que está denunciando e representando o caso às autoridades responsáveis.

“Isso não é fantasia de Halloween, isso é apologia a um crime cometido contra uma mulher que foi estrangulada, esquartejada e morta. Que horror! Não podemos nos calar! Como membro da Comissão de Defesa das Mulheres da Aleam, deputada, mãe e mulher, comunico que estou denunciando e representando às autoridades”, comunicou a deputada.