Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
1 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium

SÃO PAULO – A atriz Nicette Bruno, de 87 anos, voltou a ter uma piora em seu estado de saúde e não resistiu às complicações da Coid-19, segundo boletim médico divulgado neste domingo, 20. Ela esteve internada na UTI da Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, onde deu entrada no dia 29 de novembro.

A informação da morte foi confirmada pela hospital por volta das 13h20. De acordo com a Casa de Saúde São José ela morreu por “complicações decorrentes da Covid-19”.

“A Casa de Saúde São José informa que a atriz Nicette Bruno, que estava internada no hospital desde 26 de novembro de 2020, faleceu hoje, às 11h40, devido a complicações decorrentes da Covid-19. O hospital se solidariza com a família neste momento”, diz a nota de divulgação do hospital.

Na última semana, uma notícia falsa sobre a morte da atriz chegou a circular na internet, o que foi desmentido por seus filhos. “Minha mãe continua em estado grave, mas está lá lutando, respondendo bem ao tratamento”, disse Paulo Goulart Filho, 55 anos.

Filha de Nicette, Barbara Bruno também soltou um vídeo para desmentir o fato até então dado na semana passada. “O estado da minha mãe é grave, mas ela continua viva. Ela está lutando pela vida. Fico triste pela fake news, mas feliz por ser uma fake news. A luta continua.”

Outra filha, a atriz Beth Goulart, chegou a pedir, nas últimas semanas, orações. “O estado de minha mãe continua delicado. Mais do que nunca ela vai precisar de nossas orações. Que ela receba o nosso amor, nossa fé, nossa esperança, a energia de luz, de gratidão e respeito”, disse nas redes sociais.

Perfil

Nascida Nicette Xavier Miessa, em 7 de janeiro de 1933, em Niterói, Rio de Janeiro, a atriz percebeu cedo a vocação artística. Tinha apenas 4 anos de idade quando participou do programa infantil de Alberto Manes, na Rádio Guanabara. Aos 6, estudou piano no Conservatório Nacional e aos 11 chegou aos palcos com o grupo de teatro da Associação Cristã de Moços.

Adotou o nome artístico Nicette Bruno em homenagem à mãe, Eleonor Bruno Xavier, médica e atriz: “A família da mamãe era Bruno. Como era toda muito voltada para o lado artístico, adotei esse nome. O lado do papai era mais nancista, não tinha muito a ver”, explicou a atriz

Também na Tupi, atuou em folhetins como Meu Pé de Laranja Lima (1970), de Ivani Ribeiro, e Éramos Seis (1977), de Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho. Na Globo, a estreia no formato foi com Sétimo Sentido (1982), de Janete Clair. Seu currículo é amplo. Para citar alguns dos sucessos pelos quais passou, estão os folhetins Selva de Pedra (1986), Bebê a Bordo (1988), Rainha da Sucata (1990), Mulheres de Areia (1993), O Amor Está no Ar (1997), Alma Gêmea (2005), Salve Jorge (2012), I love Paraisópolis (2015), entre tantas outras, além de investidas em séries de TV, como Meu Destino é Pecar (1984), e lmes para o cinema, caso de Querida Suzana (1947).

Vítimas recentes

Na noite de sexta, 18, o pai do ator Marcio Garcia, de 50 anos, morreu em decorrência da Covid-19. Carlos Alberto Tavares Machado estava internado desde o mês passado em um hospital em Juiz de Fora (MG). “Às vezes não entendo o propósito de Deus. Mas ele é misericordioso, sábio e age da maneira certa”, disse o ator.

Também morreu em decorrência da Covid-19, nesta semana, a atriz Christina Rodrigues, de 57 anos, conhecida pelo programa Zorra. Ela estava internada na enfermaria da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Tijuca com sintomas graves e dificuldades para respirar, e aguardava uma vaga para ser transferida a um leito de CTI (Centro de Terapia Intensiva).