Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
16 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Priscila Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – Na próxima terça-feira, 04, influenciadores digitais de várias regiões do país e embaixadores de um aplicativo voltado ao auxílio de mulheres, que sofrem violência e situação de risco, vão se reunir para promover o movimento EducÂmago. O intuito é salientar a importância do combate à violência contra mulher. De acordo com a embaixadora do app Âmago em Manaus, a advogada Amanda Pinheiro, o serviço é disponibilizado gratuitamente, e cada vez mais mulheres procuram pela ferramenta.

“Temos uma fila de espera longa o que demonstra a crescente busca de mulheres por proteção”, comenta Amanda salientando que no mesmo dia também haverá uma transmissão ao vivo às 19hs na rede social Âmago, onde será abordado como podemos salvar vidas de mulheres extirpando atos de violência e principalmente evitando novos casos de feminicídio.

De acordo com ela, a pretensão é atingir 25 milhões de pessoas nas redes sociais. Quem quiser se juntar aos influenciadores e embaixadores podem realizar postagens com a frase “Salve vidas pela internet” com a hashtag #educamago e menção  do perfil @amago.app. “Todos podem participar e assim se engajar na causa e também se tornar um ativista no combate à violência contra a mulher”, ressalta.

O app poder ser usado gratuitamente (Reproduçã/Ana Cossermelli/SAÚDE é Vital )

Dados

Segundo dados divulgados em 2019 pelo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, realizado por meio do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a cada dois minutos uma mulher é vítima de violência doméstica no Brasil.

Os números somados de lesões corporais totalizaram 263.067 mil casos de lesão corporal, revelando um crescimento de 0,8% em relação em relação aos outros anos. “A cada 7 horas uma mulher é vítima de feminicídio. Nossa missão é reduzir essas estatísticas”, pontua a advogada.

No Amazonas, segundo o levantamento divulgado pela Secretaria de Segurança Pública- (SSP), em março deste ano, durante a pandemia, o Amazonas sofreu uma alta de 34% no registro de casos de violência doméstica contra mulher. Foram registradas 25.132 ocorrências em 2020, o que significa seis mil casos a mais que em 2019.

“O sistema penal não possui tornozeleiras eletrônicas suficiente para monitoramento de agressores de mulheres, o que faz com que muitos não respeitem as medidas protetivas impostas e assim, vemos tantos casos de feminicídio, de vítimas que já haviam denunciado seus agressores e estavam sob proteção de medida concedida judicialmente”, revela Amanda.

Como funciona?

A embaixadora explica que após o cadastro, a solicitante é encaminhada para uma lista de espera, baixa o aplicativo no celular e aguarda o envio do botão físico que levará consigo discretamente e poderá acioná-lo quando estiver em situação de perigo.

“Ao acionar o botão, é enviado um comando para o app que emite sinal de alerta para cinco contatos da rede de apoio da mulher, informando que ela está em risco e fornecendo sua localização em tempo real. O Âmago App é uma importantíssima ferramenta no combate à violência contra a mulher que é uma triste e falta realidade em nossa sociedade. “explica Amanda.

Sobre o aplicativo

O app chamado Âmago, é basicamente um botão portátil do pânico, que por meio de um lik ao app, auxilia mulheres vítimas de violência. O app é produzido por uma startup paranaense e disponibilizado gratuitamente para mulheres de todo o Brasil, que previamente se cadastrem no site www.amago.app.

Os botões de pânico do Âmago são financiados através de doações de empresas parceira ou pessoas e engajadas na causa que apoiam o projeto. “O Âmago App é uma importantíssima ferramenta no combate à violência contra a mulher que é uma triste e falta realidade em nossa sociedade. A cada 7 horas uma mulher é vítima de feminicídio e nossa missão é reduzir essas estatísticas”, finaliza.