Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium*

SÃO PAULO – Depois de Jair Bolsonaro desautorizar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a compra de vacina chinesa para distribuição pelo SUS, lideranças regionais começaram a se mexer para organizar sem o governo federal a distribuição do imunizante.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, é um dos primeiros gestores das capitais a falar abertamente na articulação. “Eu vou entrar em contato com o governador Dória e, se for preciso, vou pedir que ele nos ceda uma parte, ou nos venda, ou que nos dê canais que podem facilitar essa compra”, disse o prefeito tão logo tomou conhecimento das declarações de Bolsonaro pelo Twitter.

Segundo Virgílio, “a China não ia irresponsavelmente lançar uma vacina que fizesse mal”. Virgílio ainda completou: “Já perdemos vidas demais para ficarmos nesse nhem nhem nhem. E poderíamos ter perdido menos vida se o presidente tivesse desde o começo tomado uma atitude de liderança sobre esse processo”.

(*) Com informações da Revista Veja (Radar)