Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
10 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Com informações da Assessoria

ANAMÃ – Acessibilidade e troca de conhecimentos fazem parte do intuito dos participantes do “Circuito Cultural de Artes Integradas”, projeto contemplado no Edital Prêmio Encontro das Artes, pela Lei Aldir Blanc 2020. A programação será realizada de forma gratuita nos dias 30 de abril e 01 de maio, na Escola Municipal Nerida Ribeiro Cunha, no município de Anamã.

Oito artistas compõem o grupo que fará as oficinas de música, dança, teatro, grafite, produção cultural e maquiagem, tendo como público-alvo crianças, adolescentes e jovens da comunidade de Cuia.

Na sexta-feira, 30, às 18h, a oficina “A Arte da Palhaçaria”, ministrada pela professora de Artes Cênicas e idealizadora do projeto, Aline Cassiano, dá abertura ao projeto. A profissional, que já trabalha na área há cerca de 20 anos, acredita que “rir é o melhor remédio” para espantar a depressão e a ociosidade, principalmente, nesse período de pandemia.

A distância, a longa duração da viagem de Manaus até a região rural de Anamã e a cheia dos rios são os principais desafios enfrentados pelos participantes. Aline já conhecia a comunidade quando resolveu levar o projeto para o local.

“A ideia surgiu de uma visita técnica que eu fiz no município. Lá eu soube da necessidade cultural do local e, quando eu fechei o elenco, eu queria levar realmente um circuito para lá. Eu quis levar vários artistas consolidados em Manaus, não só para realizar oficinas, mas para criar um vínculo com a comunidade”, enfatizou a artista, que ainda ressaltou a importância da troca de conhecimentos entre artistas e participantes.

Ainda na sexta-feira, o rapper amazonense, Jander Manauara, fala sobre as atualidades do Hip Hop em roda de conversa. A iniciativa vai abordar os quatro elementos do estilo e fazer uma imersão na trajetória cultural do artista que tem mais de 20 anos de carreira. As oficinas do primeiro dia são destinadas a maiores de 16 anos.

A artista, participante do evento e responsável pela oficina de brincadeiras, Mel Angeoles, (Reprodução/Divulgação)

Segundo dia

No sábado, 1, as atividades continuam durante o dia inteiro, com início às 08h. A primeira oficina será a de musicalização, ministrada pela atriz Thiana Colares. Em seguida, às 09h, acontece a oficina de brincadeiras, ministrada pela atriz Mel Angeoles. Simultaneamente, o artista Denis LDO ministra a oficina de Grafite. Para encerrar as atividades da manhã, a oficina de dança para crianças fica por conta da dançarina Naimeê Cassiano.

Vale ressaltar que todas as oficinas da manhã são para crianças com idades entre 05 e 12 anos, exceto a de Grafite que abrange crianças acima de 12 anos. A oficina de teatro ministrada pela atriz Agatha Paes e a oficina de maquiagem de efeitos especiais, da artista Lorena Psiquê, acontecem às 14h do sábado. Elas são destinadas ao público acima de 12 anos.

Após o encerramento das oficinas, o participante Denis LDO realiza a produção de graffiti na comunidade, com previsão de acontecer às 19h, no mesmo local das oficinas. Juntos, os artistas ainda farão uma apresentação final, em forma de espetáculo.

Medidas contra a Covid-19

Por conta dos diversos decretos e diretrizes desenvolvidas devido à Covid-19, a realização do projeto foi adiada diversas vezes. A data escolhida está relacionada à queda nos números de casos na Região Norte. Todas as medidas preventivas serão priorizadas durante a execução das oficinas.

Vivência além do entretenimento

A artista e participante do evento responsável pela oficina de brincadeiras, Mel Angeoles, destaca o quanto este projeto é uma forma de levar diversão e cultura, além de conhecimento e experiência artística ao público.

“Levaremos oficinas para ensinar o que a gente faz e eles possam continuar fazendo o que aprenderam depois que formos embora”, destaca Mel. Especialmente pelos trabalhos que as igrejas do local já desenvolvem, a artista destaca que a ação também traz bons frutos.

“Levaremos oficinas para ensinar para eles o que a gente faz e eles possam continuar fazendo o que aprenderam depois que formos embora”.

“É uma ação de grande relevância para a nossa juventude da comunidade, terá um impacto muito positivo, ampliando os conhecimentos e oportunizando novos aprendizados na realidade de quem participa. É uma grande oportunidade, especialmente pela carência de políticas públicas para este público”, destaca Zelilde da Silva Pinheiro, vereadora de Anamã.

Todas as informações sobre os participantes, horários, local e demais curiosidades do projeto ‘Circuito Cultural de Artes Integradas’ estão disponíveis por meio da conta: @circuitocultural.ai, no Instagram.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.