7 de março de 2021

Com informações da assessoria

MANAUS – A Associação Sustentabilidade, Empreendedorismo e Gestão em Saúde do Amazonas (Segeam) retomou, na segunda quinzena de janeiro, o atendimento via Serviço de Apoio Psicológico, uma iniciativa que visa dar suporte a profissionais e colaboradores da instituição, que foram acometidos pela Covid-19.

É fato que a experiência de ter contraído e desenvolvido a doença deixa marcas e a inciativa também auxilia os que sofrem de algum tipo de abalo emocional ou que fazem parte do grupo de risco e precisaram se ausentar das suas áreas de atuação. A demanda diária registrada pela equipe dedicada ao projeto é de, em média, 15 atendimentos.

“Um dos pilares do projeto é o acolhimento e a orientação a esses profissionais e a seus familiares, buscando minimizar o sofrimento emocional que tem afetado todo o núcleo familiar de quem atua direto no enfrentamento à pandemia”, explicou a psicóloga Quézia de Freitas, que participa da iniciativa, restrita a profissionais da Segeam.

Atendimento

O atendimento é feito a distância, por meio de ligações telefônicas e, em algumas circunstâncias mais específicas, via mensagens de WhatsApp, nos três períodos (de manhã, à tarde e à noite). De acordo com a psicóloga, uma lista é atualizada diariamente pelo Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (Sesmet).

A atualização é feita com os nomes dos colaboradores que operam na linha de frente (a maioria, enfermeiros) e estão afastados em função da doença. Assim, membros do Serviço Social entram em contato individualmente, para checar as necessidades de cada um.

“O atendimento é um reforço à política de humanização adotada pela empresa e acontecerá durante o tempo que for necessário. Há casos em que os profissionais apoiados necessitam de um acompanhamento diário. Já outros, buscam suporte emocional a cada dois ou três dias, de acordo com suas necessidades individuais”, explicou Quézia.

Emocional e psicológico

Segundo a especialista, na prática, a Covid-19 não age apenas sobre o físico dos profissionais que trabalham na linha de frente, mas também afeta diretamente o emocional e o psicológico. Por isso, o projeto é tão importante neste momento.

“Entre as principais demandas diárias, estão: ansiedade, medo, abalos provocados pelo luto, pânico diante dos desafios diários e o sentimento de impotência diante de algumas situações mais específicas, em especial, às que envolvem os óbitos de pacientes e colegas de profissão acometidos pela doença”, destacou.

Fisioterapeuta

A Segeam também contratou uma fisioterapeuta para atender aos que tiverem indicação de fisioterapia respiratória durante o processo de reabilitação pós-Covid, garantindo o bem-estar de quem atua na assistência diária à população.

Além da psicóloga, atuam no projeto a gerente do setor de Gestão de Pessoas da Segeam, psicóloga Francivânia Vieira, os gerentes de enfermagem, a equipe do Departamento de Recursos Humanos e membros da Secretaria Executiva de Assistência à Saúde da Associação.