Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Victória Sales – Da Cenarium

MANAUS – Com apenas 22 anos, a ativista socioambiental e estudante de ciência biológicas da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Celina Maria Ferreira Pinagé, vai à Escócia representar o Amazonas na 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP-26). O evento acontece no dia 31 de outubro e vai até o dia 12 de novembro.

Em entrevista exclusiva à CENARIUM, Celina conta que todo ano a COP acontece em um local diferente, e o evento é aberto também para a sociedade civil, mas para que se consiga ir é preciso levar em consideração alguns tópicos. “Para você estar lá, precisa ter a credencial, que nada mais é que um documento oficial da ONU dizendo que está liberado para entrar no ambiente, como se fosse um convite”, destacou.

“Para as pessoas da sociedade civil que querem participar de maneira presencial do evento, eles levam em consideração questões como: se você já tem alguma experiência prévia com assuntos relacionados a mudanças climáticas, e principalmente com os temas que vão ser abordados no local, pois a COP é um espaço de tomada de decisão, é um lugar onde vai ter muito debate, sobre emissão de carbono, as metas do Brasil para 2030”, relatou Celina.

Ativista socioambiental e estudante de ciências biológicas, Celina Maria Ferreira Pinagé. (Ricardo Oliveira/ Cenarium)

Seleção

À equipe de reportagem da CENARIUM, Celina conta que é feita uma pré-seleção, que leva em consideração os conhecimentos que a pessoa que deseja participar tem e, nessa ação que antecede o evento, são abordados vários temas e é preciso falar sobre esses temas. “Eles avaliam se a gente consegue se posicionar sobre eles e entender, além de saber como vai ser o nosso posicionamento, pois, querendo ou não, a sociedade civil é um resposta para o Estado e para o País”, relatou.

Trajetória

Celina conta que para chegar até a COP, ela começou a fazer parte de Organização Não Governamental (ONG) EngajaMundo. “Desde 2018 eu faço parte do EngajaMundo, que é feita, exclusivamente, de jovens e dentro dela tem vários grupos, e um deles é só sobre mudanças climáticas e desde 2018 eu estou lá. A gente está sempre debatendo pautas sobre o assunto, gerando conteúdo. E o engajaMundo está muito próximo e relacionado à COP. Existem várias organizações que estão credenciadas para participar do evento. A ONG foi uma porta para mim, eles levam em consideração também quanto tempo a pessoa está na ONG, as que estão há mais tempo, têm mais chances de chegar até lá, então o fato de eu estar desde 2018 me ajudou muito”, afirmou.

COP-26

A COP é a principal cúpula da ONU, quando se trata de questões climáticas. O assunto é extremamente positivo, principalmente com os efeitos negativos das políticas atuais. Após um relatório publicado pela organização, cientistas e ambientalistas detectaram que o mundo está aquecendo mais rápido do que o esperado. E o evento tem a pretensão de debater e traçar estratégias para que sejam reduzidos esses gases de efeito estufa, para, pelo menos, metade desta década. Incêndios florestais e outros desastres ambientais que acontecem no mundo todo acabam deixando poucas dúvidas sobre se essa meta será alcançada.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.