Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Com informações da assessoria

MANAUS – Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, em 2011, a expectativa de vida do brasileiro era de 74,1 anos. Já em 2020, chegou a 76,6 anos, uma boa notícia, apesar da pandemia da Covid-19. Mas, nem tudo que está relacionado à longevidade, tende a ser positivo. No caso da oncologia, especialistas afirmam que viver mais, sem adotar hábitos saudáveis de vida, potencializa as chances de se desenvolver diversos tipos de câncer, especialmente, porque o principal fator de risco associado à doença, é o envelhecimento.

No próximo sábado, 27, comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Câncer, uma oportunidade de falar sobre o assunto e esclarecer a população sobre o tema. O presidente da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), médico mastologista Jesus Pinheiro, explica que a maior parte dos cânceres ocorre após os 50 anos. Mas, ainda assim, pelo menos 30% dos casos da doença, em geral, poderiam ser evitados, com atitudes que envolvem uma boa alimentação, a prática regular de exercícios físicos, o desprezo pelas bebidas alcoólicas em excesso e pelo tabagismo. São os chamados cânceres esporádicos.

Os cânceres esporádicos são aqueles que não têm relação com o fator hereditário (relação da doença com o histórico familiar), e que estão relacionados, ou não, com fatores externos, como obesidade, consumo de cigarro, sedentarismo, consumo de alimentos ricos em gordura saturada e sódio (como embutidos, enlatados, processados etc.), e a prática de atividade sexual sem o uso de preservativo.

No Amazonas, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão vinculado ao Ministério da Saúde (MS), anualmente, são registrados 5,4 mil novos casos ao ano de câncer, com destaque para os mais incidentes, que no caso das mulheres, são os de colo uterino e mama (com 700 e 450 diagnósticos/ano, respectivamente); e para os homens, próstata e pele (com 480 e 380 casos/ano, respectivamente).

“Em Manaus, especificamente, que é considerada uma pequena metrópole, o estilo de vida da maioria das pessoas acaba não privilegiando as medidas de prevenção. Vida corrida vem acompanhada de ausência de exercício físico, alimentação em fast foods e baixa qualidade de vida, em geral”, explica Jesus Pinheiro.

E quanto se trata de baixa qualidade de vida, esbarra-se em outro fator de risco para o câncer, apontado em pesquisas recentes, denominado estresse. “Por isso, a rotina diária, que já é pesada e envolve o trânsito, alimentação corrida, cansaço físico, etc, deve ser minimizada sempre que possível, com momentos de lazer e relaxamento”, frisou o especialista.

SejaUmDoadorDaLacc

A Lacc foi fundada há mais de 60 anos e desenvolve ações sociais e educativas, no Amazonas, por meio de recursos doados pela população.

Entre os projetos, estão: a destinação mensal de cestas básicas a pacientes com câncer, que se encontram em situação de vulnerabilidade social; o aluguel de quartos nas proximidades da FCecon, para acolher pacientes vindos do interior; o transporte de pacientes em tratamento de quimioterapia e radioterapia; a aquisição de alimentação especial para pacientes com restrição alimentar, em decorrência do câncer; o custeio de passagens terrestres e fluviais aos que moram em outras cidades do Amazonas, entre outros.

Os principais canais de doação à Lacc são: site www.laccam.org.br, WhatsApp (92) 99977-6294 e telefone convencional 2101-4900, além do PIX é o 04.499.182 0001-48.