Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Três profissionais da comunicação e do direito se reuniram neste sábado, 6, no programa “Passando a Limpo” do Portal CM7. No bate-papo, mediado pela apresentadora Cileide Moussalem, estavam a conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), Yara Lins, e a diretora da REVISTA CENARIUM, Paula Litaiff. O programa abordou empoderamento feminino nas áreas profissional e pessoal.

O programa transmitido na rádio FM do Povo, pelo canal do Youtube do portal CM7 e também no site do portal, entrou no clima de celebração do Dia Internacional da Mulher, que será comemorado dia 8 de março. A data foi instituída pelas Nações Unidas há 46 anos para relembrar e motivar toda a luta por direitos femininos.

Paula Litaiff, Yara Lins e Cileide Moussallem durante Programa Passando a Limpo (Reprodução/Internet)

Durante o programa, as convidadas falaram sobre reconhecimento da capacidade profissional da mulher no mercado de trabalho, pessoas que foram inspiração e como lidam com suas carreiras de sucesso. A jornalista Paula Litaiff relembrou de um dos trabalhos mais marcantes da sua carreira, quando foi convidada para trabalhar na produção da série Bandidos na TV, da Netflix.

“Quando vieram para cá [Manaus], a turma de jornalistas e produtores, ninguém sabia que se tratava da Netflix. Sabíamos que havia um grupo de jornalistas renomados mundialmente, da BBC e CNN, que ia produzir um documentário sobre o Caso Wallace. Avisaram-me que estava sendo chamada porque, do levantamento feito pelo diretor do documentário, ele entendeu que as matérias com mais informações e mais detalhes eram as minhas. Eles chamaram os jornalistas pelo trabalho que desempenharam na época”, relembrou a jornalista.

Inspiração

Yara Lins relembrou que, entre todas as mulheres que se destacam no Amazonas, uma lhe marcou profundamente. “Uma das primeiras mulheres que eu cito já há alguns anos é desembargadora, a doutora Liana Mendonça. É uma desembargadora aposentada séria, ativa e mãe. Isso nos faz refletir e faz com que as mulheres a tomem como exemplo. A mulher tem que ser tudo ao mesmo tempo. Tem que ser mulher, mãe e magistrada. A mulher tem que ser ‘super'”, destacou Lins.

Já Paula Litaiff relembrou que, por ser de família humilde, não teve muitas oportunidades, principalmente de fácil acesso a livros. Entre as muitas pessoas que passaram pela sua vida e contribuíram para sua carreira de sucesso, ela destacou o escritor Tenório Telles.

“Ele foi foi casado com a minha prima durante 12 anos e, vendo a minha realidade, começou a falar a respeito de grandes escritores, filósofos e sociólogos. Toda semana ele me dava um livro para ler e isso marcou a minha adolescência e a minha juventude”, destacou a diretora da CENARIUM.

Preconceitos

A jornalista ainda relembrou que, ao inaugurar a REVISTA CENARIUM, passou por momentos em que teve que lidar com preconceito e destacou que sente falta de mais apoio entre as mulheres, ainda mais no tocante das carreiras profissionais.

“Eu vejo que as mulheres não apoiam outras mulheres. Quando montei a estrutura da revista [Cenarium], obviamente, eu tinha uma reserva financeira e me preparei para isso. É impressionante como colegas jornalistas chegaram na revista e perguntaram quem estava me ‘bancando’. Não quero criar um estereótipo, mas eu acho que as mulheres estão replicando uma cultura na qual elas foram criadas”, adicionou Paula Litaiff.

Assista ao programa na íntegra:

(Reprodução/Youtube)