Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
12 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Bruno Pacheco – Revista Cenarium

MANAUS – A blogueira de moda amazonense, Raphaella Moura, que foi flagrada em uma festa clandestina em um condomínio de luxo no mês de março, em Manaus, se posicionou quatro semanas após o ocorrido. Raphaella gravou, na tarde desta quinta-feira, 22, uma sequência de stories no seu perfil no Instagram e pediu desculpas. O condomínio onde a festa ocorreu fica localizado na avenida Ephigênio Sales, bairro Aleixo, zona Centro-Sul.

Vídeos onde a blogueira estava na festa e desrespeitava as medidas de segurança contra a Covid-19 viralizaram nas redes sociais e causaram revolta de internautas. Em janeiro, Raphaela estava à frente de uma campanha para arrecadação de cilindros oxigênio, no auge da crise de falta do insumo no Estado. Nas redes sociais, seguidores e internautas questionaram a blogueira se a campanha era apenas para ‘ganhar seguidores’ ou para ajudar.

“Eu me arrependo muito, gostaria de pedir desculpas por todas as pessoas que eu coloquei em risco, escolhendo estar em um momento com os meus amigos. Não só colocando a própria vida em risco, mas de outras pessoas que não escolheram estar naquele local, mas, que por um contato mínimo, ou por um descuido, poderiam ser infectadas pela irresponsabilidade de todo mundo”, disse a digital influencer.

Durante a campanha, Raphaela chegou a contar com o apoio de personalidades brasileiras. Os internautas pediram o cancelamento do contrato de marcas que patrocinam a blogueira. Na sequência de stories, a influencer ainda afirma que não pediu desculpas antes, porque não se sentia à vontade.

“Tem um grande percentual de pessoas que quer essa retratação para me ver admitindo que errei. E isso acontece, porque é muito prazeroso você ver uma pessoa que você não gosta, ou que você não simpatiza, cometendo deslizes e falhando. E não necessariamente aceitando que essa pessoa cometeu uma falha, que ela pôde identificar esse erro, e verdadeiramente se arrependeu por ter feito algo que de alguma forma feriu as pessoas”, acrescentou.

Investigação

A Polícia Civil do Amazonas abriu um inquérito para investigar a festa que desrespeitava o decreto de restrição e impede a aglomeração de pessoas no Amazonas. Segundo a PC, houve descumprimento às medidas sanitárias de prevenção à Covid-19 e à prática do crime previsto no Art. 268 do Código Penal Brasileiro, que prevê punições para quem age contra protocolos criados para impedir disseminação de doenças contagiosas. O caso está sendo investigado no 16º Distrito Integrado e Polícia (DIP).

(Reprodução/Espia Maninho)