Boi Caprichoso suspeita de incêndio criminoso e pede investigação policial

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O Boi Caprichoso suspeita que o incêndio ocorrido na madrugada desta quarta-feira, 21, em uma área externa do galpão de alegorias do Bumbá, em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), possa ter iniciado de forma criminosa. A suspeita surgiu após moradores da região afirmarem à agremiação que três pessoas estavam próximas ao local quando o fogo iniciou.

De acordo com o diretor de imprensa do Bumbuá, Carlos Alexandre, a presidência do Caprichoso vai registrar um Boletim de Ocorrência (BO) ainda nesta quarta para que as autoridades competentes investiguem as causas e as circunstâncias do fato.

“Os moradores da região afirmaram à nossa agremiação que avistaram três pessoas próximas ao local do incêndio quando o fogo iniciou. E para que não hajam acusações infundadas, a Polícia Militar (PM) orientou que registrássemos um boletim na delegacia para que seja investigado o que de fato aconteceu”, disse Carlos Alexandre à REVISTA CENARIUM.

(Arleison Cruz/ Boi Caprichoso)

Segundo ele, o fogo atingiu a área externa do galpão, onde são descartados entulhos que não são mais utilizados pelos artistas do Bumbá, como as alegorias de festivais passados, isopores e outros materiais inflamáveis.

“No terreno são colocados os entulhos que os artistas não utilizam mais, tudo é deixado lá. Quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local, rapidamente atuou no sentido que se evitasse uma destruição maior e conteve as chamas. Foi tudo muito rápido, ficou um cenário devastador”, explicou Alexandre.

As labaredas chegaram a atingir cabos de energia elétrica arrebentando-os da fiação da rua. “A preocupação era com os populares, porque tinha muito curioso que estava próximo ao galpão. Ainda iremos fazer um levantamento sobre os prejuízos e verificar de que forma podemos proceder para recuperar o que foi perdido”, finalizou o diretor de imprensa.

Combate

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMA), para o combate ao incêndio foi preciso isolar materiais ainda preservados e evitar uma maior propagação das chamas para o galpão de fantasias e alegorias, que fica ao lado do terreno de entulho.

(Arleison Cruz/Boi Caprichoso)

“Foi lançada uma linha direta com um lance de mangueira para isolar os módulos ainda preservados e evitar, assim, a propagação das chamas para o galpão de fantasias e alegorias. Após isso, foi realizado o combate direto controlando e apagando o incêndio em definitivo”, reforçou a corporação.

Por meio de nota, a direção do Boi Caprichoso agradeceu o trabalho dos bombeiros e da Polícia Militar que evitaram que as chamas chegassem nas alegorias e no Galpão Central.

Segundo a nota, uma retroescavadeira será levada ao local ainda nesta quarta-feira, 21, para remover os materiais e identificar possíveis focos de fogo debaixo do entulho.

Confira a nota na íntegra:

“O Boi Caprichoso informa que o fogo na parte externa do galpão de alegorias foi controlado. O presidente Jender Lobato conversou com o sargento do Corpo de Bombeiros, Geandro Oliveira, que comandou a operação, o qual assegurou que as chamas foram contidas.

Jender Lobato agradece ao trabalho da 3ª Companhia Independente de Bombeiros Militar, e aos policiais militares que deram suporte ao trabalho dos bombeiros, os quais evitaram que as chamas chegassem nas alegorias e no Galpão Central.

O diretor administrativo, Diego Mascarenhas, informa que uma retroescavadeira será levada ao local ainda nesta quarta-feira (21), para remover os materiais e identificar possíveis focos de fogo debaixo do entulho.

Segundo a unidade do Corpo de Bombeiros, ainda não é possível identificar a causa do incêndio. O presidente Jender Lobato vai registrar boletim de ocorrência para que o caso seja investigado”

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO