Bolsonaro não atende Wilson Lima, que espera apoio internacional à Amazônia

Michelle Portela – Da Revista Cenarium

BRASÍLIA – O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), tentou falar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para reforçar à Saúde no estado, que está à beira do colapso, nesta terça-feira, 21, mas não foi atendido. “Acredito que ainda hoje, 22, vamos conversar com o presidente”, disse durante entrevista ao canal de televisão CNN.

Lima reconheceu que o sistema de Saúde do Amazonas está em colapso, e que, somente ontem, 39 pessoas morreram em casa à espera de atendimento.

“Não há outro caminho para barrar a contaminação, não há outra saída, temos de evitar a contaminação pelo vírus, que tem sido muito agressivo. Para você ter ideia, 39 pessoas morreram em casa, ontem, sem que houvesse tempo para a vítima chegar na unidade hospitalar. E ainda não chegamos no pico da doença. Podemos ter, nos próximos dez dias, uma situação muito grave”, explicou o governador.

O governador ainda disse que já conversou com o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) para apresentar as dificuldades da região no sistema de controle da Covid-19. “Recebemos profissionais do Sírio Libanês,  conversei com o novo ministro da Saúde e com outras lideranças da área. Nós estamos tendo apoio do governo federal, mas precisamos de mais, devido a um sistema de saúde precário e do avanço da doença no Amazonas”, disse.

De acordo com Wilson, o Governo do Amazonas estuda pedir auxílio internacional para combater a pandemia na região. “Vamos pedir ajuda a quem puder nos ajudar. Se houver possibilidade de cooperação internacional, vamos pedir, já que sempre defendemos o quanto é importante defender a gente da floresta”, ressaltou.

Além disso, Lima ressaltou que há esforços na ampliação do atendimento, com a inclusão de oito novos leitos de UTI no Hospital Universitário Getúlio Vargas, e 45 leitos para casos menos graves. Por isso, a indicação do comandante da 12 Região Militar da Amazônia , Eduardo Pazuello, para o cargo de secretário executivo do Ministério da Saúde representou uma melhor expectativa do apoio do governo federal na região. “É alguém que conhece muito a Amazônia e suas dificuldades”.

Casos

Segundo a última atualização feita pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), dos 2.270 casos confirmados no Amazonas até esta terça-feira (21), 1.809 são de Manaus. Até o momento, o Estado registra 161 óbitos.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO