Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
Com informações da Folha de S. Paulo

SÃO PAULO – O Brasil recebeu na madrugada desta quinta-feira, 13, o primeiro lote de vacinas pediátricas contra a Covid-19. A carga com 1,2 milhão de doses de imunizantes da Pfizer chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 4h38.

A distribuição das doses começa nesta quinta, de acordo com o critério populacional, ou seja, será proporcional à população de crianças em cada Estado e no Distrito Federal. A previsão é que o público infantil comece a ser vacinado na sexta-feira, 14.

As vacinas pediátricas da Pfizer serão aplicadas em crianças de 5 a 11 anos. A imunização começará por menores com comorbidade, deficiência permanente, indígenas e quilombolas. Em seguida, o Ministério da Saúde recomenda que sejam vacinadas crianças que vivem com pessoas dos grupos de risco.

Depois disso, haverá um escalonamento por faixa etária, começando pelos mais velhos.

Profissional da saúde prepara dose de vacina pediátrica contra Covid-19, em Québec (Andrej Ivanov – 24.nov.2021/AFP)

A informação do Ministério da Saúde é que serão entregues 4,3 milhões de doses de vacinas em janeiro, 7,2 milhões em fevereiro e 8,4 milhões em março.

A vacinação não será obrigatória. “As vacinas contra a Covid são emergenciais e foram autorizadas no âmbito da emergência sanitária e são incluídas apenas no PNO (Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19)”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na quarta-feira, 12.

Em São Paulo, o pré-cadastro para vacinação do público infantil já pode ser feito no site Vacina Já. A estimativa é que 4,3 milhões de crianças comecem a ser vacinadas assim que as doses forem liberadas pelo Ministério da Saúde.

O pré-cadastro é opcional e não funciona como agendamento, mas agiliza o atendimento nos locais de imunização.

No Estado, a vacinação das crianças será realizada em cinco mil pontos de vacinação, além de 268 escolas públicas estaduais.

A DIFERENÇA ENTRE VACINAS PARA ADULTOS E CRIANÇAS

Uma das principais diferenças das vacinas para crianças daquelas que são aplicadas em adultos é a cor das tampas — enquanto as pediátricas são laranjas, as dos maiores de 12 anos são roxas.

O objetivo é facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e pelos responsáveis que acompanharão os pequenos nos postos de saúde.

​Outro ponto é a dosagem. Enquanto para os maiores de 12 anos as doses da Pfizer são de 0,3 ml, para os mais novos a dosagem é inferior, de 0,2 ml. Nos outros produtos aprovados para adultos, como Coronavac e AstraZeneca, a dose é de 0,5 ml.

O tempo de armazenamento também muda. Enquanto para os mais velhos o imunizante pode ficar na geladeira entre 2ºC a 8ºC durante apenas um mês, para os pequenos são permitidas até dez semanas.

Além disso, o frasco da vacina das crianças comporta dez doses, mais do que a versão para maiores de 12 anos, cujo frasco comporta seis doses.

Uma semelhança entre as duas vacinas é o intervalo entre a primeira e a segunda doses do produto da Pfizer. Tanto para crianças quanto para maiores de 12 anos o espaçamento é de oito semanas.

Em adultos, segundo a Anvisa, o prazo é de duas a quatro semanas com a Coronavac e de quatro a 12 semanas com a AstraZeneca. Em relação à Janssen, a segunda dose deve ser aplicada dois meses após a primeira.