Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Cassandra Castro – Da Cenarium

BRASÍLIA – Depois da aprovação pela Comissão de Trabalho, na última terça-feira, 5, e pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 6, os deputados federais abriram os trabalhos da sessão plenária discutindo um requerimento de convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que ele preste esclarecimentos, no plenário da Câmara dos Deputados, a respeito da manutenção de empresa offshore em paraíso fiscal. O requerimento foi aprovado.

A informação de que Paulo Guedes possui investimentos em paraísos fiscais foi revelada por meio de uma investigação jornalística internacional que ficou conhecida como Pandora Papers e revelou investimentos de líderes mundiais, políticos e empresários. No Brasil, as revelações feitas pelo Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) mencionou, além do ministro Paulo Guedes, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia também: CPI de Guedes e amazonense na presidência da Câmara são destaques no Congresso

Dep. Alessandro Molon ( PSB/RJ) durante discurso em defesa da convocação de Paulo Guedes (Cleia Viana/Câmara dos Deputados)

O requerimento 1943/21 foi assinado pelos líderes da oposição, entre eles, o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) que defendeu a urgência em pedir esclarecimentos ao ministro da Economia.

“O parlamento brasileiro tem o direito e o dever de cobrar esclarecimentos do ministro da economia. O ministro transgrediu uma regra clara e explícita que proíbe a conduta que ele adotou. Nós queremos saber por que o ministro da Economia mantém os bens protegidos dos desastres da sua gestão”, afirmou o parlamentar durante a votação que definiu se o assunto seria mantido na pauta do dia para ser votado.  

Leia também: Gestão na pandemia pressiona Paulo Guedes e abala independência do Banco Central

A deputada federal Caroline de Toni (PSL/SC) se manifestou contra o pedido de convocação, alegando que a existência de investimentos e contas do ministro Paulo Guedes no exterior já eram de conhecimento público antes mesmo dele fazer parte do governo Bolsonaro.

Depois dos discursos a favor e contra a convocação do ministro, feitos por deputados tanto da base governista quanto da oposição, o requerimento foi aprovado por 310 votos SIM. E 142 parlamentares votaram contra o pedido de convocação do ministro. A data em que o ministro Paulo Guedes deve ir à Câmara ainda será definida.