Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) – Anunciada no mês passado, a campanha “Vacina contra a Fome”, da Prefeitura de Porto Velho, capital de Rondônia, arrecadou, até agora, 400 quilos de alimentos que serão destinados para famílias de baixa renda, que foram ainda mais afetadas pela pandemia da Covid-19.

A quantidade apresentada na sexta-feira, 25, já foi convertida em cestas básicas. Na prática, a prefeitura convida aos integrantes de grupos contemplados pela imunização a entregar um quilo de alimento no ato da aplicação das doses, de forma voluntária e espontânea, de modo que a falta da doação não impede a vacinação. 

Prefeitura arrecadou 400 quilos de alimentos em um mês de campanha e espera aumentar número de doações. (Reprodução/Prefeitura de Porto Velho)

Doações

As primeiras cestas básicas foram entregues ao Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Irmã Dorothy, localizado no bairro Socialista, em Porto Velho, que atende a quase 4 mil famílias em situação de vulnerabilidade social e, por consequência, que sofrem com a insegurança alimentar.

“A gente teve uma adesão não tão grande quanto gostaríamos, lembrando que Porto Velho já aplicou 180 mil doses e nós estamos entregando, agora, 400 quilos de alimentos. Mas a gente está aqui para agradecer a aqueles que ajudaram e também para pedir que quem ainda não doou, que venha conosco praticar a solidariedade”, declarou a primeira-dama, Ieda Chaves, que organiza a campanha. 

Vacina contra a Fome

De acordo com a prefeitura, “a campanha é uma forma de mobilização para amenizar o sofrimento de um contingente de famílias de baixa renda que não consegue se alimentar corretamente”.

Todos os locais de vacinação da capital contam com pontos de coleta, quem têm banner e caixas decoradas, onde os cidadãos podem deixar itens como arroz, feijão, café, óleo, macarrão, fubá, açúcar, sal, leite em pó entre outros alimentos não perecíveis.

A ação conta ainda com voluntários que trabalham na arrecadação, orientando as pessoas a respeito da campanha, recolhendo e separando os alimentos. Até mesmo quem já se vacinou pode contribuir de igual forma.

“Assim que você souber a hora da vacinação, pegue um quilo de alimento. Te damos a certeza de que este alimento irá, de fato, para uma família que está precisando”, ressaltou o secretário municipal de Assistência Social, Claudi Rocha.

Com a ação, a prefeitura e a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semasf) tentam amenizar os impactos da pandemia, que agravou problemas pré-existentes, como a insegurança alimentar que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atinge índice de 32,7% em Rondônia.