Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Iury Lima – Da Revista Cenarium

VILHENA (RO) – O Governo de Rondônia decidiu cancelar a 9ª edição da maior feira agropecuária da Região Norte do País, em razão do avanço da pandemia da Covid-19. O evento não acontece desde 2019 e estava programado para se repetir no segundo semestre deste ano, em Ji-Paraná, a 376 quilômetros de Porto Velho. Com isso, o Estado deixa de lado as expectativas lucrativas com a feira, que movimentou R$ 700 milhões em sua última edição.

Agora, apaixonados pelo agro, além de empresas e produtores que aproveitam a Rondônia Rural Show Internacional (RSS) para apostar em novas parcerias e negócios, devem aguardar até maio de 2022, caso não haja novos entraves.

Em 2019, o público foi de 120 mil pessoas entre visitantes, expositores e investidores. (Reprodução/Governo de Rondônia)

A Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) planejava que a feira agropecuária, que atrai milhares de pessoas de diversos Estados brasileiros e investidores mundo afora, ocorresse em maio deste ano, mas o anúncio oficial de cancelamento aconteceu apenas agora, em junho.

A Rondônia Rural Show acontece desde 2012, no Centro Tecnológico Vandeci Rack, na zona rural de Ji-Paraná. A 9ª edição já havia sido adiada antes, pois aconteceria originalmente entre os dias 26 e 30 de maio de 2020. Agora, com o novo cancelamento em 2021, fica prevista para o período de 23 a 28 de maio de 2022, ano em que deveria acontecer a edição comemorativa de 10 anos do evento.

No ano passado, devido ao cancelamento, o valor superior a R$ 2,2 milhões, dinheiro que seria utilizado para a realização da feira, foi remanejado para a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau-RO), para que suprisse os custos das ações de combate do novo coronavírus.

Critérios

A 9ª edição contaria com estandes de mais de 500 expositores de produtos agrícolas e mais de 100 agroindústrias, além da divulgação e venda de artesanatos. Também iriam comparecer cerca de 30 agentes financeiros, como bancos e cooperativas de crédito. 

Temendo o risco à saúde, os expositores se posicionaram de forma contrária à sugestão do Governo de Rondônia de realizar a feira ainda em agosto deste ano, elencando uma série de critérios e entraves, tais como:

  • déficit de implementos no mercado;
  • data fora do calendário agrícola e plano safra (indisponibilidade de crédito);
  • segurança sanitária;
  • clima desfavorável em agosto (calor, vento e poeira); e
  • falta de infraestrutura de irrigação para vitrines tecnológicas.
Clima de agosto seria desfavorável para a realização do evento. Expositores concordaram em aguardar por mais um ano, temendo risco de disseminação da Covid-19 na feira. (Jeferson Mota/Reprodução)

Importância econômica

De acordo com o governo estadual, a RRS surgiu “da necessidade de buscar novas tecnologias e práticas mais eficazes para a produção agropecuária rondoniense, proporcionando o desenvolvimento econômico e social do Estado”.

Só em 2019, 120 mil pessoas passaram pelo evento, que resultou na geração de mais de R$ 700 milhões em negócios. Veja os resultados de todas as edições:

EdiçãoResultado 
2012R$ 186 milhões
2013R$ 294 milhões
2014R$ 530 milhões
2015R$ 621,6 milhões
2016R$ 485,2 milhões
2017R$ 660 milhões
2018R$ 533 milhões
2019R$ 703,5 milhões 
Fonte: Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri)

“A Rondônia Rural Show hoje é a maior feira de agronegócio da região Norte e internacional. Vamos continuar trabalhando para a realização do evento no próximo ano, que com certeza será um grande sucesso. Vamos continuar unidos para o avanço do nosso agronegócio”, garante o secretário estadual de Agricultura, Evandro Padovani.