Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
22 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Da Revista Cenarium*

MANAUS – A valorização do índio, da natureza e o resgate dos tempos áureos do Boi-Bumbá serão homenageados no videoclipe “Requiém”, em uma releitura feita pela cantora amazonense, Márcia Novo. A música será lançada neste sábado, 20, e ficará disponível em todas as plataformas digitais.

De acordo com Márcia Novo, a principal mensagem do videoclipe é mostrar que vidas indígenas importam. “Eu acredito que ali está o primórdio de tudo. Se a gente se conecta com os índios, a gente se conecta com o que viemos fazer neste planeta, que é viver em harmonia”, diz.

Sobre a escolha da canção “Requiém”, Márcia explica que a música remete aos clássicos dos anos 1990, que ela intitula como “tempos áureos do Boi-Bumbá”. “Eu me identifico muito com as músicas dos anos 1990, e eu acho que existe uma conexão muito grande com o que estamos vivendo e falando hoje, de maneira mais latente. Quando eu escolhi ‘Requiém’, primeiro eu queria trazer músicas que marcaram a época e essa música é a mais séria do nosso EP do ‘Eletroboi’, no sentido de letra, e é uma toada muito especial que marcou época na voz do Arlindo Júnior”.

O Teatro Amazonas foi escolhido como cenário do videoclipe para representar um funeral indígena. A escolha de um dos maiores patrimônios culturais do Estado tem uma representação significativa para Márcia Novo. “O teatro é um símbolo que está atrelado à colonização. Dizem que na história da origem de Manaus os índios tiveram uma certa resistência e a construção do teatro representava que o progresso estava vindo. Ali morreram muitos índios, e é talvez o nosso maior símbolo. ‘Requiém’ é nada mais que uma prece aos espíritos e o Ronaldo Barbosa quis homenagear na letra várias províncias indígenas que morreram na colonização”.

Na obra que será lançada por Márcia, o Teatro Amazonas ganhou destaque como uma representação da beleza e do contraste da colonização dentro de uma cidade no meio da floresta.

’Réquiem’ uma prece pelos indígenas

Segundo a cantora, o trabalho artístico foi uma premonição ao que está acontecendo atualmente com os povos tradicionais. Um dia, ao entregar máscaras na comunidade Parque das Tribos, Márcia presenciou uma cena retratada meses antes no clipe.

“Eu estava indo deixar as máscaras no Parque das Tribos, liguei para a Wanda Ortega (enfermeira indígena) dizendo que estava atrasada e precisava ir em outra comunidade também fazer as entregas. Ela falou muito baixo dizendo que estava no funeral do cacique. Eu cheguei a ver o caixão dele saindo de lá carregado pelas pessoas aquela imagem me marcou porque eu tava toda apressada e todo mundo parou ali para mim!”, disse.

Para Márcia, a cena foi um despertar para mensagem que deveria ser passada sobre a causa indígena. “A imagem que veio na minha cabeça do videoclipe, vários índios segurando o caixão de alguém que importa muito para eles. Foi quando caiu minha ficha, vamos lançar isso, está morrendo índio. Precisamos fazer as pessoas refletirem sobre isso”, explicou.

Vidas Indígenas Importam

O lançamento do videoclipe faz parte de um projeto de Márcia Novo, intitulado “Vidas Indígenas Importam”, para levantar doações para as províncias indígenas da região. “Eu sonhei com uma indígena com quem eu trabalhei anteriormente e no início da pandemia, no mês de março, eu resolvi mandar uma mensagem para ela, para saber como estava a aldeia. Então ela me relatou as dificuldades: falta de gasolina para lancha, a comida estava acabando e então solicitou duas cestas básicas para 70 pessoas”.

A cantora então acionou amigos para ajudarem com uma vaquinha que rendeu 25 cestas básicas para doação. Em seguida, Márcia entrou em contato uma conhecida em outra aldeia e percebeu as mesmas dificuldades.

Com os relatos, a campanha de Márcia foi ganhando força e ganhando mais parceiros, além de mais comunidades que precisavam de ajuda. O projeto foi denominado de “Vidas Indígenas Importam”.

Além do Spotify e do Youtube Premium, o videoclipe será lançado com um QR Code para que os interessados possam doar recursos que serão usados para ajudar as aldeias indígenas.

Bumbás

Márcia Novo, em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), vai realizar uma live neste domingo, 21, à partir das 16h, para ampliar a divulgação da campanha ‘Vidas Indígenas Importam’. Um QR Code também estará disponível para arrecadar doações.

Em um momento histórico, os bois Garantido e Caprichoso também estarão unidos e transmitirão o show ao vivo em suas redes sociais.

As toadas antológicas dos bumbás serão relembradas na live, que também terá a participação do Canto da Mata, Klinger Araújo, Vanessa Alfaia, João Paulo Faria – pai Francisco do Garantido, entre outros. Ao longo da transmissão, terão diversos depoimentos dos itens dos bois e homenagens aos indígenas.

Confira o videoclipe:

(*) Com informações da assessoria