Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
17 de abril de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Priscilla Peixoto – Da Revista Cenarium

MANAUS – A cantora e poetisa nortista Anna Suav lança nesta terça-feira, 6, o novo single “BNTA”, abreviação de bonita. Com temática voltada à exaltação da autoestima e plenitude da mulher negra, a produção vai estar disponível de forma gratuita em todas as plataformas musicais digitais.

Compositora, Anna afirma que teve como inspiração a plenitude e a afetividade. “O processo de exaltação da autoestima da mulher negra passa pelo reconhecimento das nossas fragilidades que são coletivas e fazem parte de um processo de violência histórico”, conta a cantora que permeia entre os ritmos Hip Hop, Pop e R&B.

O single “BNTA” faz parte do primeiro EP da cantora que inclusive vem acompanhado de um videoclipe gravado em Belém do Pará. O audiovisual é roteirizado e dirigido pela própria cantora e produzido de forma independente em parceria com Job produções e Caribé Filmes.

Atualmente a amazonense é destaque no cenário cultural do Pará, onde reside há cinco anos (Reprodução/Internet)

Inspirações, expectativas e estética

Anna mora há cinco anos em Belém do Pará e, apesar da distância e do tempo da cidade natal, a artista nascida em Manaus detalha que não esqueceu as referências no Amazonas. Ela cita as artistas Karen Francis, Elisa Maia, Lary GO e Strela, por exemplo.

Vocês não imaginam o quanto eu estou ansiosa por esse lançamento, #NaçãoSuav! Não tenho mais dedos para contar os dias. BNTA representa para mim uma nova fase, tudo feito com muito carinho para que a música, o visual e a mensagem dela reverberem em vocês”, comentou Anna.

Suav determina que tem a necessidade de ressaltar questões de representatividade feminina e negra, como consequência, indo contra a invisibilidade sofrida por elas. “Mostrar algo diferente disso significa construir uma nova perspectiva para a minha comunidade, para as minhas pares. Uma perspectiva onde podemos existir em plenitude”, pontua Anna.

Propondo deixar marcas na música nortista, a compositora quer transformar as canções em hinos de emponderamento. “As meninas dessa nova geração terão referências para se enxergar e se orgulhar. Emponderar e se autoafirmar e deixar para trás essa invisibilidade e anulação da nossa estética”, finaliza.