Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
6 de dezembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – A Casa Militar do Governo do Amazonas negou, nesta segunda-feira, 30, a prisão do chefe do órgão, o coronel da PM Fabiano Bó, durante a terceira fase da Operação Sangria, deflagrada nas primeiras horas desta manhã. Em nota, a secretaria repudiou a informação divulgada equivocadamente por blogs e portais, que noticiavam a prisão do militar.

“Cabe a esta Casa Militar informar que seu chefe não tem pedido de prisão decretado pela Justiça Federal e que está disposto a colaborar com toda e qualquer informação aos órgãos oficiais de fiscalização e controle”, diz trecho da nota.

A operação investiga fraudes e desvios de verbas na área da Saúde do Amazonas durante a pandemia do novo Coronavírus. Nesta terceira fase, a PF cumpre quatro mandados de busca e apreensão expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e nenhum de prisão, como havia sido noticiado.

Veja também: PF cumpre quatro mandados de busca e apreensão em nova fase da Operação Sangria no Amazonas

O endereço ligado ao chefe da Casa Militar, Fabiano Bó, foi alvo de busca e apreensão, mas o militar não foi preso. Além dele, a PF cumpriu mandados das mesmas medidas na sede da Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM), em Manaus.

Confira a nota na íntegra da Casa Militar:

“A Casa Militar do Governo do Amazonas vem a público repudiar veementemente a ação irresponsável e antiética de blogs e portais que divulgaram a notícia falsa de uma suposta prisão do chefe deste órgão, coronel PM Fabiano Bó.

Tal atitude não condiz com o exercício sério e responsável de uma imprensa livre e democrática. Muito pelo contrário, a divulgação de Fake News é crime e seus autores passíveis de severa punição sob forma da lei.

Blogs e portais que tratam a notícia de forma politiqueira, com interesses escusos e sem escrúpulos, ferem o bom jornalismo que deve ser praticado com total isenção e checagem da informação antes da publicação.

Cabe a esta Casa Militar informar que seu chefe não tem pedido de prisão decretado pela Justiça Federal e que está disposto a colaborar com toda e qualquer informação aos órgãos oficiais de fiscalização e controle.