Caso Henry: Supremo Tribunal Federal nega pedido de liberdade a ex-vereador Jairinho

Com informações da Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou nesta segunda-feira, 21, pedido de liberdade do ex-vereador Jairinho, acusado de homicídio triplamente qualificado pela morte do menino Henry.

A defesa do ex-vereador argumentou que houve constrangimento ilegal, por considerar que não estão preenchidos os requisitos da prisão cautelar. Sustentava, ainda, que a prisão preventiva foi decretada sob argumento do clamor público.

Para o ministro Gilmar Mendes, o pedido de habeas corpus não caberia ao STF, ainda, já que um mesmo pedido tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Para o ministro “não houve, ainda, o esgotamento da controvérsia no STJ”.

Jairinho e Monique, mãe de Henry, são acusados pela morte da criança, no dia 8 de março do ano passado, após ele ter sofrido torturas no apartamento em que o casal e a criança moravam, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

O ex-vereador e Monique estão presos desde abril de 2021. Eles foram denunciados pelo Ministério Público, pela prática de homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, com recurso que dificultou a defesa da vítima e impingiu intenso sofrimento, além de ter sido praticado contra menor de 14 anos, tortura, coação de testemunha, fraude processual e falsidade ideológica.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO