Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
24 de julho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml
Com informações do O Globo

RIO DE JANEIRO — Foram identificados como sendo o fazendeiro Elmi Caetano Evangelista, de 74 anos, e o caseiro dele, Alain Reis de Santana, de 33, os dois presos nessa quinta-feira, 24, por policiais da Diretoria de Operações Penitenciárias (Dpoe) do Distrito Federal, durante as buscas a Lázaro Barbosa Sousa, procurado há 17 dias na região de mata de Colcalzinho de Goiás. A informação é do “Correio Braziliense”. De acordo com a polícia, os dois são suspeitos de ajudar o serial killer durante sua fuga.

A reportagem do “Correio” apurou que Lázaro já teria trabalhado em uma fazenda de Elmi. O fazendeiro e o caseiro foram abordados no distrito de Girassol. Elmi dirigia uma caminhonete Strada branca.

De acordo com o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, é considerada a possibilidade de os suspeitos também serem “psicopatas”, reiterando o perfil traçado para Lázaro. Também foram apreendidas duas espingardas e munição, incluindo uma garrucha furtada de uma das propriedades em Cocalzinho. A linha de investigação sobre ajuda ao fugitivo é considerada desde a semana passada.

“Na nossa cabeça, não era possível um sujeito desse ter essa habilidade toda sem ter apoio. A gente vinha desconfiando disso desde o início: que ele tinha apoio para fugir. Ontem nós já iniciamos algumas prisões. E hoje nós prendemos já duas pessoas que estavam auxiliando ele. Dois psicopatas provavelmente. Porque para ajudar psicopata tem que ser psicopata. Estavam auxiliando ele nas fugas e, principalmente, a se esconder da ação policial”, afirmou Miranda em entrevista coletiva nessa quinta-feira. “Quem facilita a vida de foragido comete crime”.

O secretário informou ainda que a dupla será investigada como coautora de sete crimes dos quais o fugitivo é suspeito, entre eles latrocínios e assassinatos. Ambos serão autuados em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e por facilitação. 

‘Vamos continuar virando as noites até prendê-lo”, destacou Miranda, acrescentando que um dos presos tendou tirar o criminoso do cerco policial. “Nós fechamos o perímetro, estamos cercando cada vez mais”, disse.

Cerco policial

Rodney Miranda admitiu pela primeira vez a possibilidade de Lázaro ter escapado do cerco policial com mais de 200 agentes nos arredores de Cocalzinho de Goiás. Mas para o secretário, a chance de isso ter acontecido é pequena.

“Pode ser que ele tenha saído? Pode ser. Mas a probabilidade é pequena por tudo que estamos trabalhando aqui”, afirmou. “Eles não conseguiram fugir por causa dos nossos bloqueios”, acrescentou o secretário.

Miranda disse ainda que não considera o trabalho de captura demorado. Para o secretário, o prazo começa a contar do dia em que foi instalada a força-tarefa, há 12 dias. Lázaro foge da polícia desde 9 de junho:

“Ainda é um tempo razoável para crise tão complexa e um criminoso tão perigoso”, disse o secretário. “Ele andava sempre pelos canais. Dificultando nosso trabalho. Temos um indicativo forte de onde ele está. Vamos virar a noite até prendê-lo. Nós fechamos o perímetro e estamos cercando cada vez mais”.