Catar 2022: durante a Copa do Mundo, sexo fora do casamento levará a prisão, diz jornal

Da Redação*

MANAUS — Os torcedores que forem para Copa do Mundo no Catar, que acontece este ano do dia 21 de novembro até 18 de dezembro, serão advertidos que podem pegar até sete anos de prisão por um possível encontro sexual fora do casamento, no país do Oriente Médio o sexo casual, fora do casamento, é ilegal e acarreta em uma pena de sete anos de prisão.

Uma fonte policial do país afirmou ao portal de notícias ‘Daily Star’ que realmente existe uma proibição de sexo nesta Copa do Mundo, e que é melhor todos os fãs irem preparados.

“O sexo está muito fora do menu, a menos que você venha como marido e mulher. Definitivamente não haverá encontros de uma noite neste torneio”, disse a fonte.

“Na verdade, não haverá festa nenhuma. Todos precisam manter a cabeça sobre eles, a menos que queiram correr o risco de ficar presos na prisão. A cultura da bebida e da festa após os jogos, que é a norma na maioria dos lugares, é estritamente proibida”, acrescentou.

LGBTQI+

O presidente do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022, no Catar, Nasser Al-Khater, afirmou, no ano passado, que torcedores LGBTQI+ terão o direito de viajar ao país e assistir aos jogos. Mas acrescentou dizendo que demonstrações de afeto estão malvistos tanto para o público hétero quanto ao público homossexual.

“O Qatar e seus países vizinhos são muito mais conservadores e pedimos aos torcedores que o respeitem. Temos certeza que o farão, assim como respeitamos as diferentes culturas, esperamos que a nossa também seja”, concluiu.

“Eles virão ao Qatar como torcedores e participantes de um torneio de futebol e poderão fazer o que qualquer outro ser humano faria. As demonstrações de afeto são desaprovadas e isso se aplica a todos”, disse o dirigente em entrevista à CNN.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO