Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
28 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da assessoria

MANAUS – A categoria petroleira e trabalhadores da empresa terceirizada da Refinaria Isaac Sabbá (Reman), a Liga Engenharia, realizam paralisação geral, nesta quinta-feira, 22, a partir das 7h, em frente à Reman, na rua Rio Quixito no Distrito Industrial, zona Leste de Manaus. As pautas de reivindicações gerais são referentes às políticas de privatização aplicadas na refinaria.

Entre as pautas de reivindicações dos trabalhadores da Liga Engenharia, prestadora de serviços de manutenção de equipamentos da Reman, estão: pagamento do dissídio do ano de 2018, o pagamento da diferença de hora extra referente ao dissídio 2018, a multa por atraso de pagamento referente aos meses de novembro de 2020 e março de 2021, o pagamento do desconto referente aos dois dias em que a empresa dispensou o efetivo em março de 2021, pagamento do complemento da cesta básica, atraso no pagamento referente ao mês de abril e a falta de depósito do FGTS referentes aos meses de fevereiro, março e abril de 2021.

Além da Liga Engenharia, o Sindicato dos Petroleiros do Amazonas (Sindipetro-AM) tem recebido denúncias referentes à empresa GM Service, empresa terceirizada no setor administrativo. De acordo com as denúncias, os trabalhadores da GM Service estão há dois meses com salários atrasados. Os trabalhadores da empresa GM Service não irão realizar a paralisação por estarem em teletrabalho.

Para o Sindipetro-AM, os trabalhadores terceirizados também estão sendo impactados pelas medidas unilaterais aplicadas pela Petrobrás durante o processo de venda da refinaria. Com os desinvestimentos, a gestão da refinaria não cumpre a obrigação de fiscalizar os contratos e atribuições das empresas prestadoras de serviços para a refinaria.

A paralisação desta quinta-feira, 22, será a segunda dos trabalhadores somente este ano. Em março, os trabalhadores da empresa Liga realizaram paralisação durante dois dias para reivindicar salários atrasados e direitos trabalhistas suspensos, incluindo o plano de saúde durante a pandemia da Covid-19. O Sindipetro-AM informou que tem dado suporte necessário aos trabalhadores terceirizados para possíveis negociações.