Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações do Infoglobo

RIO DE JANEIRO – A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”, registrou um boletim de ocorrência contra o chefe de gabinete do ministro da Saúde, João Lopes de Araújo Júnior por ameaça.

Segundo revelou a rádio “CBN”, Pinheiro afirmou que tem sido ameaçada em conversas por aplicativo e acusada injustamente de conspiração por Araújo Júnior que é funcionário do ministro Marcelo Queiroga.

Nas mensagens, apresentadas na Polícia Civil do Distrito Federal, o chefe de gabinete acusa Mayra Pinheiro de atuar, em conjunto com o ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), pela demissão de Queiroga.

Nas conversas Araújo Júnior diz que ela está “cometendo um crime” e que “não tem qualquer lealdade ao ministro”. Afirma que sabe da suposta ligação da secretária com Lorenzoni e diz que conhece “todos os nomes envolvidos nessa tentativa de retirada do ministro”. Por fim, ele diz para a secretária ter cuidado e se preparar porque “vai ver a mão de Deus” sobre ela.

Segundo a reportagem, o caso foi remetido à Polícia Federal nesta semana, porque os envolvidos são vinculados ao Ministério da Saúde, cuja competência é da União. Pinheiro concordou em ser intimada como vítima e pede a apuração criminal do caso, para que Araújo Júnior seja investigado. Não está claro, no entanto, qual crime pode ser imputado ao chefe de gabinete.

Procurada pela “CBN”, a secretária Mayra Pinheiro pediu para não se manifestar em razão da morte de seu pai, nesta semana. O ministro Lorenzoni e sua assessoria não responderam à reportagem. Procurados, o Ministério da Saúde e Araújo Júnior ainda não se manifestaram.