21 de janeiro de 2021

João Paulo Guimarães – Da Revista Cenarium

Aldeia Jauarituba, Rio Tapajós – No III Encontro Tupinambá dos Povos Ancestrais do Tapajós, eu me tornei amigo de um verdadeiro chef representante da gastronomia indígena brasileira, Zena do Carmo, que possui ancestralidade no povo Parintintins. Ele contou como a culinária interage com o que a natureza oferece de melhor à cozinha nativa e ao homem branco, que anseia por uma alimentação mais saudável e, consequentemente, mais natural. Apresento a vocês, chef Zena de Santarém.

(João Paulo Guimarães/Revista Cenarium)

Zena do Carmo é descendente da Etnia Parintintins no Amazonas e pertence a quarta geração provinda da mãe. Nascido na comunidade Cacoal, grande município de Monte Alegre, ele já trabalha há 20 anos com a culinária e há cinco anos na gastronomia nativa.

(João Paulo Guimarães/Revista Cenarium)

“O potencial da gastronomia nativa é o uso de produtos naturais e saudáveis tirados da natureza sem uso de agrotóxicos. A vantagem dela é proporcionar maior longevidade de vida para a humanidade, fazendo com isso inibir doenças crônicas, vasculares, câncer. Dessa forma, evitando superlotação de hospitais”, detalha Zena.

(João Paulo Guimarães/Revista Cenarium)

A busca por uma saúde “perfeita” há muito tempo exerce uma forte tendência no mundo. Com isso, a não utilização de produtos industrializados se torna a principal característica e identidade da gastronomia nativa, que busca justamente mostrar à humanidade que é possível ter uma qualidade de vida e longevidade por meio de uma alimentação baseada em produtos naturais.

“São conhecimentos deixados pelos nossos antepassados por gerações, há 150 anos que consistem em técnicas de caça, armazenamento, preparos de pratos exóticos e afrodisíacos. Usamos insumos 100% naturais e saudáveis que fazem da nossa gastronomia uma explosão de aromas, sabores e saberes. Esses pratos são nossa ancestralidade”, explica o chef.

(João Paulo Guimarães/Revista Cenarium)

Reconhecimento e planos

O Chef de Santarém possui reconhecido nacional e internacional pelo trabalho desenvolvido na gastronomia nativa, sendo premiado no EnchefsPará em 2019, pelo segundo lugar em concurso de gastronomia, realizado em Belém do Pará.

Ele também é embaixador da gastronomia nativa internacional no Brasil, título recebido da França; bem como o prêmio “Destino de La Carta”, recebido da Espanha. Além disso de ser diplomado como delegado regional da gastronomia brasileira, título recebido pela “Chefs Associados de Latino America y el Caribe”, Zena foi pela “International Chefs Confraternity”.

(João Paulo Guimarães/Revista Cenarium)

Nos planos do Chef Zena do Carmo estão a abertura de seu restaurante em Santarém e uma viagem no ano que vem para Tóquio no Japão como Chef convidado de um grande evento culinário que Zena prefere manter ainda em segredo.

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.