8 de março de 2021

Mencius Melo – Da Revista Cenarium

MANAUS – O governo da China informou neste sábado, 16, que vai doar recursos para ajudar o Amazonas na crise da nova onda do novo coronavírus. Segundo a CNN Brasil, o valor do repasse não foi informado pelo premier chinês, Xi Jinping.

“Será um gesto de amizade e solidariedade. Será juntado a todos os esforços para ajudar o Amazonas”, afirmou o porta-voz da embaixada chinesa no Brasil, ministro-conselheiro Qu Yuhui. O representante chinês disse que o valor ainda está em estudo e que a ideia é fazer a doação na próxima semana.

O deputado federal do Amazonas, Marcelo Ramos (PL), confirmou que a embaixada brasileira já comunicou o pedido e que a doação ao governo estadual deve ser acertada formalmente na segunda-feira, 18. Além da crise instaurada na capital, outras cidades do interior do Amazonas seguem em estado de alerta pela falta do oxigênio.

Parceria

Ainda segundo apuração da CNN, empresas chinesas também se articulam para fornecer ajuda financeira ao Amazonas diante da luta para conter os avanços da pandemia da Covid-19.

Como se trata de capital privado, como não pode haver doação direta a governos, a contribuição deve ser transferida para a Federação das Indústrias do Estado (Fieam). A razão da possível está relacionada as inúmeras empresas chinesas operando no parque industrial de Manaus.

Interlocutores declararam à REVISTA CENARIUM que se Manaus já sofre com a falta de produto, o interior, cujo acesso ainda é mais restrito, pode ter quadro ainda pior. A crítica recai sobre o ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que esteve há poucos dias no Amazonas, mas não foi capaz de detectar ou se antecipar ao caos.

Venezuela

A China é o segundo país que demonstra solidariedade à situação que a capital amazonense enfrenta por conta da escassez de oxigênio. Segundo o governador do Amazonas nessa sexta-feira, 15, Wilson Lima (PSC), apenas a Venezuela ofereceu ajuda para disponibilizar auxílio.

“Com exceção desse contato da Venezuela, nenhum outro país ofereceu qualquer ajuda nesse sentido. Porque todas às vezes que há qualquer situação relacionada à Amazônia, relacionada ao meio ambiente, há uma comoção mundial de pessoas que vivem lá nos Estados Unidos, na Alemanha ou onde quer que seja, colocando postagem em rede social e criminalizando o cidadão que mora nessa região”, afirmou Wilson Lima.