Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de junho de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Gabriel Abreu – Da Revista Cenarium

Manaus – Após Amazonas registrar o número de 10.234 focos de incêndio neste ano, conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) informou nesta segunda-feira, 31, à REVISTA CENARIUM que tem priorizado o combate ao desmatamento e às queimadas ilegais no Estado, desde o decreto de emergência ambiental, em 21 de maio.

Só em Agosto de 1º até o dia 27, foram contabilizados 7.620 focos ativos de queimadas no Estado. O segundo maior número no período de acompanhamento. O Estado já registrou aumento de 52% na quantidade de focos de queimada, em comparação com o mesmo período do ano passado. O número de focos de queimadas no primeiro semestre deste ano bateu recorde dos últimos quatro anos no Estado.

No final de semana, os satélites do Inpe apontaram que os municípios mais afetados pelas queimadas são: Apuí, com 2.284 registros; Novo Aripuanã, com 1.415; e Lábrea, com 1.217 focos ativos. Ainda conforme o monitoramento parcial do ano, o Amazonas, Pará e Mato Grosso concentram os maiores focos de queimadas no País.

A Sema declarou que, por meio do decreto de emergência, adiantou em três meses o início da Operação Curuquetê 2, que está na segunda fase de ações articuladas no Sul do Amazonas. (Foto: Fernando Alves/Secom)

A Sema declarou que, por meio do decreto de emergência, adiantou em três meses o início da Operação Curuquetê 2, que está na segunda fase de ações articuladas no Sul do Amazonas. Nesta etapa, as ações estão concentradas especialmente no município de Apuí, que lidera o número de focos de calor registrados em 2020 no Estado. Os pontos críticos são sobretudo os assentamentos e glebas federais.

Em paralelo às operações em campo, o secretário de Meio Ambiente, Eduardo Taveira, disse que tem tomado providências para buscar melhor estruturação do Estado no combate aos ilícitos ambientais. “Desta forma foi lançado, em junho deste ano, o Plano de Prevenção e Controle ao Desmatamento e Queimadas do Amazonas (PPCDQ-AM), a fim de direcionar os esforços dos órgãos de Estado com atuação direta ou indiretamente relacionada às questões ambientais, em ações voltadas para a redução dos índices”, afirmou Taveira.

Por fim, a Secretaria de Meio Ambiente declarou que tem usado, a partir do cruzamento de dados do Inpe, informações georreferenciadas para o alinhamento estratégico das equipes de fiscalização em campo, coordenadas pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).

Operação Curuquetê 2

A operação Curuquetê 2 envolve efetivos do Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Polícia Civil, do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. Somam-se aos esforços ainda o efetivo do 54º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS) de Humaitá e o Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Ibama, por meio da Operação Verde Brasil 2.