Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
23 de novembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Com informações da assessoria

MANAUS – A cada dia que passa o preço das carnes animais vem aumentando de forma expressiva e tem levado consumidores a buscar alternativas na hora das compras. Mas, no prato, será que é possível buscar uma saída sem que haja uma perda nutricional?

O nutricionista Gabriel Oliveira explica que quando se pensa no consumo de proteína, o ideal é que esta seja introduzida em todas as refeições e não apenas no almoço e no jantar.

“Consumir alimentos como ovos, queijo, iogurte e leite no café da manhã e nos lanches auxiliam na porção diária de proteínas necessárias para o organismo humano. Mas com relação à substituição, podemos diminuir as carnes animais para manter meu aporte proteico e acrescentar os grãos, como quinoa, grão de bico, chia, brócolis, até mesmo no café da manhã pode ser adicionado a aveia que também tem proteína.”

Nutricionista Gabriel Oliveira (Divulgação/Assessoria)

“No entanto, vale ressaltar que se deve tomar cuidado com o teor de calorias e gorduras fornecidas. Escolher cortes de aves e peixes magros, que são os mais baratos e fontes de proteína, ácido graxo e ômega 3, que previnem doenças cardiovasculares”, explica Gabriel.

Já com relação ao consumo de ovo, que tem sido uma opção para quem tem sentido o impacto do aumento das carnes no bolso, o nutricionista lembra que ele pode ser utilizado como opção para a substituição de proteínas, o que leva a ter um consumo maior desse alimento.

Conforme Oliveira, “Um ovo tem apenas 11 gramas de proteína, enquanto 100 gramas de carne (bovina e frango) tem em média 25 gramas de proteína. Sendo necessário, então, no mínimo três ovos para cada 100 gramas de carne. Porém, o ovo não vai ter a quantidade necessária de outros nutrientes que a carne tem, principalmente a vitamina B12 e a deficiência dessa vitamina pode levar a um tipo de anemia, por isso seria importante inserir pelo menos um dia da semana a carne vermelha na dieta”, orienta.

O profissional da nutrição, que cuida do cardápio do Restaurante Biliskão, localizado na rua Vinícius de Souza Lima, 495, no Parque Dez de Novembro, indica o espaço gastronômico como um dos restaurantes que oferece para os clientes variedades de saladas, com alface, grão de bico, quinoa, batata-doce, ovos, verduras cozidas, que são ricas em proteínas e os pratos podem ser de peixe, frango e até mesmo de carne vermelha, sendo grelhados, assados, de acordo com a preferência do cliente.

De acordo com um dos donos do restaurante, Isaac Oliveira, “O restaurante Biliskão busca a ajuda de um nutricionista, para melhor servir seus clientes, pois a maioria da população busca uma alimentação saudável e de qualidade, por isso resolvemos investir no Dr. Gabriel, para ser mais um braço de nossa empresa”, afirma o proprietário.

O restaurante está intensificando os cuidados e todos os protocolos exigidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde), com o objetivo de receber as pessoas com total segurança. Para os clientes que vão se servir no buffet, o estabelecimento disponibiliza luvas descartáveis, os pratos e talheres são esterilizados, os atendentes treinados em relação à Covid – 19 e todos usam os EPIs de segurança, há a disponibilização de produtos descartáveis (prato, talheres e copos), caso a cliente queira para se sentir mais seguro.

Curiosidades

O nutricionista do Restaurante Biliskão reforça que a importância do consumo de carne e frango está atrelada à absorção de proteínas. Ele ainda explica que aproximadamente 17% do corpo humano é composto por proteínas, que estão distribuídas nos tecidos como colágeno, queratina, albumina e exercem função estrutural, enzimática, hormonal, de imunidade e contrátil. “A recomendação de ingestão diária de proteínas está relacionada à manutenção de uma alimentação saudável e equilibrada, não podemos deixar de lado esses ingredientes tão importantes e altamente saborosos”, declara.

O especialista aponta que a carne bovina tem um alto teor de ferro e é um componente de dieta saudável, especialmente rica em aminoácidos essenciais, vitaminas do complexo B e minerais. Já o frango é rico em proteínas, mas com uma diferença importante: a quantidade de gorduras saturadas é muito menor. O frango possui grande quantidade de vitaminas, principalmente as do complexo B, como a B2 e a B12, essenciais para o metabolismo celular, pois atuam em processos energéticos e funções do sistema nervoso.