8 de março de 2021

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – De acordo com um levantamento divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM) nesta quinta-feira, 11, o crime organizado sofreu um prejuízo avaliado em cerca de R$ 150 milhões em 2020, o número é um recorde derivado da apreensão de drogas.

A SSP aponta que 19 toneladas foram embargadas de janeiro a dezembro, sendo a maior quantidade contabilizada desde o início da série história. O total, segundo a pasta governamental, representa 17,8 toneladas de maconha, ou seja 93% das apreensões.

Já a cocaína corresponde a 1,3 tonelada (7%), um recorde registrado em 2020 representa um aumento de 180.8% em comparação com 2019, cujas apreensões chegaram a 6,8 toneladas (5,9t de maconha e 0,9t de cocaína).

Avanços

Se comparado com 2017, que registrava o recorde de 16,4 toneladas apreendidas, sendo 10,3 de maconha e 6,1 de cocaína, 2020 registra um aumento de 16,4% do material ilícito apreendido. Com isso, o interior amazonense concentra a maioria das apreensões, por 16,3 toneladas confiscadas, que correspondem a 85,3% das apreensões

Já em Manaus, foram apreendidas 2,8 toneladas correspondentes aos 14,7% restantes. Conforme a secretaria, que registra a quantidade de drogas apreendidas no Estado desde 2010, o trabalho realizado em 2020 contou ainda com o apoio da Base Arpão que, desde agosto, vem continuamente coibindo o narcotráfico na região do rio Solimões.

Veja também: Polícia afirma que narcotraficante preso com seis toneladas de drogas atuava há dez anos no AM

O recorde registrado ocorre, principalmente, pela operação “Mamon”, deflagrada pela Polícia Civil em setembro de 2020, que apreendeu a maior quantidade de entorpecentes em uma única ação com 6 toneladas. Além dos entorpecentes, as forças de segurança (polícias Civil e Militar) prenderam 1,3 mil pessoas por tráfico e associação ao tráfico de drogas no ano passado.

Confira a série história de apreensão de drogas no Amazonas:

2020: 19,1 toneladas (17,8t de maconha e 1,3t de cocaína)
2019: 6,8 toneladas (5,9t de maconha e 0,9t de cocaína)
2018: 14 toneladas (11t de maconha e 3t de cocaína)
2017: 16,4 toneladas (10,3t de maconha e 6,1t de cocaína)
2016: 10 toneladas
2015: 11 toneladas
2014: 3,1 toneladas
2013: 1,3 toneladas
2012: 1 tonelada
2011: 788 kg
2010: 339 kg