Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
29 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Victória Sales – Da Revista Cenarium

MANAUS – A dez dias para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e com o aumento no número de infecções pelo novo coronavírus, alunos e entidades fazem campanha para que a prova seja novamente adiada.

Com um total de seis milhões de inscritos, entidades afirmam que o Ministério da Educação (MEC) não anunciou medidas que fossem eficazes para que tivesse a segurança de todos os alunos durante a realização da prova.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) não descartam a possibilidade de ter um mandado de segurança para que a prova não seja realizada neste mês.  

Em nota, eles afirmam que “não há confiança por parte de muitos estudantes, seja pelo cuidado com a saúde, muitos em grupo de risco, ou mesmo pelas restrições impostas nos Estados e municípios”.  

Eles também ressaltam que “os números de contaminações e mortes por Covid-19 voltaram a crescer exponencialmente recentemente, o que ocasionou por sua vez o endurecimento em restrições de contato social em diversos Estados”, disse em nota.

Manifestações

Nas redes sociais, também foi possível identificar uma manifestação por parte dos estudantes que pediam o adiamento do Enem. Nesta quarta-feira, 6, os alunos subiram a hashtag #AdiaEnem no Twitter.

Originalmente a prova seria realizada no mês de novembro de 2020, mas foi adiado após diversas manifestações de estudantes, entidades e secretários da educação.

A equipe de educação do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, nega que haja risco de contaminação durante a realização da prova no período de pandemia.