Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
25 de setembro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

Bruno Pacheco – Da Cenarium

MANAUS – O secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates, pediu o afastamento do cargo nesta quinta-feira, 29, por conta de problemas de saúde. O general do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Mansur, titular da 12ª Região Militar, em Manaus, é um dos nomes cotados para assumir o comando da principal pasta de segurança do Estado.

Bonates tem uma cirurgia marcada há cerca de seis meses e precisa de repouso total para fazer um tratamento ao qual ele está submetido. A assessoria de imprensa do Governo do Amazonas ainda não confirmou o afastamento do coronel. A exoneração também ainda não foi publicada no Diário Oficial do Estado.

Combate ao tráfico

Coronel da reserva da Polícia Militar do Amazonas, Bonates foi anunciado pelo governador Wilson Lima (PSC) para chefiar a SSP-AM ainda em 2018 e tomou posse do cargo em 2 de janeiro de 2019, com a meta de reduzir os índices de criminalidade no Amazonas e aumentar a sensação de segurança da população.

Em entrevista à CENARIUM em maio deste ano, o secretário falou sobre o combate à venda de narcóticos e a pirataria no Médio Solimões, no interior do Amazonas. Questionado, o secretário disse que, mesmo sendo impossível extinguir por completo a venda de entorpecentes, a polícia busca cada vez mais dar prejuízo aos traficantes.

“Extinto o narcotráfico não vai ser nunca. É uma utopia. Mas o nosso objetivo é dar um prejuízo cada vez maior, reduzir o máximo que nós pudermos e isso nós estamos vindo numa crescente, em termos de apreensão de drogas”, salientou o Coronel.

Em 2020, sob o comando do secretário, o Amazonas apreendeu 19,1 toneladas de entorpecentes. Segundo a Segurança Pública, a apreensão é um recorde de apreensão no Estado. “Com isso, impedimos que os nossos jovens sejam aliciados e em consequência teremos uma sociedade mais limpa e mais justa”, afirmou Bonates.