Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
18 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – O levantador de toadas do Boi Garantido, David Assayag, diagnosticado com Covid-19 nesse domingo, 3, será transferido para o Hospital Samel, em Manaus, onde deve continuar o tratamento da doença. De acordo com boletim médico emitido pelo Hospital Jofre Cohen, em Parintins (a 369 quilômetros da capital), o quadro de saúde do cantor é considerado estável.

Em uma publicação nas redes sociais, o cantor agradeceu pelas mensagens positivas que vêm recebendo e pelos cuidados da equipe médica do Hospital Jofre Cohen de Parintins.

“Primeiro quero agradecer a Deus pela dádiva da vida. Agradecer toda equipe do Hospital Jofre Cohen pelos cuidados, agradecer toda mensagem positiva e orações. Daqui a pouco serei transferido para Manaus para o grupo Samel”, escreveu o cantor e compositor, no Instagram.

Primeiros sintomas

O cantor e compositor do Garantido começou a sentir primeiros sintomas da Covid-19 no sábado, 2, como febre e dores do corpo. Na última sexta-feira, 1º, David Assayag participou da cerimônia de posse do prefeito eleito de Parintins, Bi Garcia (DEM).

Nesse domingo, 3, o músico foi visto chegando ao hospital Jofre Cohen para realização de exame de Covid-19. Com o diagnóstico positivo, ele precisou ficar internado na unidade hospitalar. No mesmo dia, a unidade emitiu o primeiro boletim médico do cantor.

No boletim, assinado pelo médico Daniel Tanaka, o hospital informa que David Assayag deu entrada no Pronto-Socorro com desconforto respiratório leve, com piora aos pequenos esforços e saturação de oxigênio em torno de 91%. Na unidade, ainda segundo o boletim, o cantor realizou tomografia, que evidenciou lesões iniciais no pulmão, compatível com pneumonia por Covid-19.

Conforme o boletim, o quadro respiratório do artista melhorou com suplementação de oxigênio por catéter nasal, que optou por internação hospitalar para monitorar a evolução do quadro, principalmente, por tratar de um paciente com hipertensão, diabetes e obesidade, “que são fatores de risco para forma grave de Covid-19”, evidenciou o médico.

Confira o boletim na íntegra: