Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
26 de janeiro de 2022
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – A presidente do Fundo Manaus Solidária e irmã do prefeito David Almeida (Avante), Dulcinea Ester de Almeida Motta, vai destinar R$ 970 mil a uma organização social administrada pelo ex-candidato a vereador que perdeu as eleições 2020, em Manaus, o evangélico Nilson Hiroshi Kanehira Sato (PSL). Segundo consta no Diário Oficial do Município (DOM), divulgado em 1º de dezembro, o recurso irá custear as despesas de “projetos natalinos”.

Nilson Sato é sócio e presidente do Movimento Amigos da Zona Norte e Região Metropolitana, entidade beneficiada com o montante em três contratos. Bolsonarista, Sato concorreu ao cargo de vereador nas eleições municipais no ano passado pelo Partido Social Liberal (PSL), ex-sigla do presidente Jair Bolsonaro, hoje filiado ao Partido Liberal (PL). Com apenas 1.602 votos válidos recebidos, Nilson Sato não foi eleito.

Resultado das votações em 2020 mostra que Nilson Sato recebeu 1.602 votos. (Reprodução/TSE)

Dentre os contratos celebrados entre o Fundo Manaus Solidária e a organização liderada por Sato, está o de nº 009/2021-FMS, no valor de R$ 770 mil – a maior quantia gasta pela Prefeitura entre os três contratos. Segundo o documento, cujo prazo de vigência é de um mês, a contar da data de assinatura, o recurso é para execução do projeto “Natal da Vida: É hora de resgatar o sorriso e levar esperança”. Beneficiando esse mesmo projeto, a presidente da pasta assinou ainda outro contrato, de nº 008/2021-FMS, pelo valor de R$ 100 mil. O prazo de vigência do contrato será de um mês, a contar da data de assinatura.

O último contrato entre o FMS e o movimento, de nº 010/2021, foi celebrado pelo valor de R$ 100 mil, com prazo de vigência de um mês. Esse recurso é para custear as despesas do projeto “Natal da Vida: Fase II ‘Olhar Solidário: Ver para Viver'”. Em todas as três publicações, Dulcinea explica que os contratos foram firmados por meio de processos administrativos, sem chamamento público, para cumprimento de emendas parlamentares. O nome do político que promoveu as emendas não foi divulgado.

A soma dos três contratos chega ao valor de R$ 970 mil. (Reprodução/DOM)

Bens e gastos

Nas eleições de 2020, Nilson Sato, de 52 anos, declarou R$ 423 mil em bens, segundo mostra o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Desse total, R$ 200 mil é o valor avaliado de uma residência; dois prédios comerciais custam R$ 90 e R$ 80 mil, respectivamente; além de uma construção inacabada no valor de R$ 40 mil, um carro Fiat Milly de R$ 10 mil e uma moto Bis, no valor de R$ 3 mil.

Antes da disputa eleitoral do ano passado, Nilson Sato concorreu ao cargo de vereador nas eleições de 2016 e 2012, pelo PSL e o Partido dos Trabalhadores (PT). Em 2020, Nilson Sato contou com a doação de pouco mais de R$ 70 mil de recursos para gastar na campanha, ainda conforme o TSE.

Instituto Mazon – Insma

Com data de fundação em 20 de junho de 2008, segundo consulta da REVISTA CENARIUM no site da Receita Federal, o Movimento Amigos da Zona Norte (Mazon), de nome empresarial Instituto Mazon (Insma), é uma associação privada criada com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento da Zona Norte de Manaus. Sem fins lucrativos. A organização está localizada no bairro Monte das Oliveiras, na Zona Norte de Manaus.

Atualmente, segundo as redes sociais do movimento, a organização tem 65 núcleos espalhados por 76 comunidades existentes na Zona Norte da capital amazonense, tendo mais de 130 mil pessoas cadastradas e mais de 30 mil sócios efetivos, colaborando economicamente e financeiramente com o Instituto.

Sem retorno

A REVISTA CENARIUM entrou em contato com a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), questionando quais os critérios que a presidente do FMS utilizou para formalizar o contrato e escolher a organização, por que, apenas no contrato nº 009/2021-FMS existe o valor de R$ 770 mil e como a população vai ser beneficiada com os projetos.

A reportagem também entrou em contato com o Movimento Amigos da Zona Norte, por meio do e-mail disponibilizado nas redes sociais da organização, questionando o motivo do valor alto do contrato nº 009/2021-FMS e o que faz ele ser caro. Por conta do montante, a CENARIUM também perguntou se o instituto pretende construir algum ponto para apresentar o projeto.

A REVISTA também indagou a Nilson Sato se ele pretende concorrer ao pleito em 2022 e, caso a resposta for sim, se isso não pode prejudicar a execução dos projetos beneficiados pela Prefeitura de Manaus. Até a publicação desta matéria, a REVISTA CENARIUM não obteve retorno de ambas as partes.