Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
19 de outubro de 2021
Ainda não é assinante
Cenarium? Assine já!
ASSINE
image/svg+xml

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Carolina Givoni – Da Revista Cenarium

MANAUS – Com novas altas de internações e sepultamentos na capital amazonense neste mês de janeiro, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), declarou em entrevista à CNN Brasil que uma das primeiras medidas no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus será a abertura de 22 mil sepulturas para enterrar verticalmente as vítimas.

“Estamos providenciando, com urgência, a construção rápida de aproximadamente seis mil de um total de 22 mil covas. Nós estamos contratando de forma emergencial (esse serviço) para que nós possamos garantir que as famílias possam ter os seus entes queridos sepultados de uma forma digna”, disse Almeida às apresentadoras do programa CNN 360.

(Reprodução/CNN)

Cemitério vertical

Ainda na entrevista, David também anuncia o cemitério vertical como uma novidade mórbida para a região Norte. “Vamos fazer os chamados cemitérios verticais, que aqui em Manaus é uma novidade, nós não temos. Normalmente temos o sepultamento de forma tradicional e nós estamos aqui construindo esse cemitério, no mesmo local onde estão enterradas quase todas as vítimas da Covid-19. Nós vamos abrir 22 mil sepulturas de forma vertical”, detalhou o prefeito de Manaus.

‘Coveiro na pandemia’

David Almeida é aliado do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. Na primeira onda da pandemia no Brasil – abril de 2020 – Bolsonaro foi irônico com o aumento do número de mortes e declarou que não era “coveiro” após ser indagado por um jornalista.  

“Presidente, hoje tivemos mais de 300 mortes [são 113; depois de divulgar, o Ministério da Saúde corrigiu] . Quantas mortes o senhor acha que…”, perguntava um jornalista quando Bolsonaro o interrompeu.

“Ô, cara, quem fala de… Eu não sou coveiro, tá certo?”, declarou o presidente.

O repórter, então, tentou fazer novamente a pergunta.

“Não sou coveiro, tá?”, repetiu o presidente da República.

‘Alerta Roxo’

Após o Amazonas alcançar o alerta roxo de contaminação pela doença, considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) um dos mais graves, a capital concentra 89.109 infectados, representando 41,84% dos casos no Estado, segundo dados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). A instituição também confirma o registro de 3.692 óbitos por Covid-19 apenas em Manaus.

O boletim funerário, emitido diariamente pela Prefeitura informou que apenas no sábado, 9, cerca de 130 sepultamentos foram registrados nos cemitérios. Desses, 103 foram nos espaços gerenciados pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), dos quais dois deles optaram pelo serviço de cremação. Apenas um óbito oriundo de outra cidade foi registrado. Já nos cemitérios particulares, 27 enterros foram realizados.

Assista ao vídeo