Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
18 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

Bruno Pacheco – Da Revista Cenarium

MANAUS – A Comunidade Anglicana de Manaus iniciou, nesta semana, uma campanha para ajudar indígenas em situação de vulnerabilidade social por conta da pandemia do novo coronavírus e da cheia no interior do Amazonas. A iniciativa pretende angariar recursos, por meio de doações, que serão revertidos na compra de cestas básicas, que serão destinadas para aproximadamente 70 famílias das etnias Tikuna, Witoto, Kanamari, Kokama e Kambeba.

De acordo com o professor de Ensino Religioso e membro da comunidade, Iuri Lima, de 34 anos, a situação das famílias indígenas em Amaturá, no Alto Rio Solimões, interior do Amazonas, é de extrema vulnerabilidade e esse cenário foi partilhado por um membro da instituição, o assistente social Ronilson Simão, que está trabalhando diretamente na região.

Doações serão revestidas em cestas básicas (Arquivo Pessoal/Reprodução)

“É importante frisar toda a dificuldade que essas famílias têm para acessar as políticas básicas de saúde e educação, e essa situação ganha contornos mais dramáticos por conta da pandemia da Covid-19, que tem ceifado a vidas de muitas lideranças e parentes. E isso é amplificado devido ao nosso Estado do Amazonas ter grandes cheias nos rios, o que dificulta o mínimo de acesso ao pescado e alimentos por causa das grandes inundações que atingem a região. Queremos ajudar na segurança alimentar dessas famílias”, contou o educador.

A campanha se encerrará no próximo sábado, 20. As doações podem ser em dinheiro ou em alimentação. Materiais de higiene e de proteção à Covid-19, como máscaras e álcool gel 70º também podem ser doados à instituição.

Em 2020, a Comunidade Anglicana de Manaus, por meio da Diocese Anglicana da Amazônia e com a ajuda de voluntários, promoveu a distribuição de cestas básicas para famílias indígenas no Parque das Tribos, Rio Cuieiras, Rio Tarumã-Açu, Associação de Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro (Amarn) e a aldeia Tikuna na Cidade de Deus. Segundo o professor Iuri, as ações atingiram mais de 600 famílias no decorrer de 2020.

Famílias recebendo as cestas básicas em 2020 (Arquivo Pessoal/Reprodução)

“Somos uma das mais jovens comunidades pertencentes à Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (Ieab), parte da Diocese Anglicana da Amazônia, com pouco mais de 2 anos de existência em Manaus. Desde a fundação temos privilegiado o diálogo ecumênico, fazemos uma opção clara pelas minorias mais vulneráveis na sociedade, desde as realidades indígenas, mulheres, crianças e os LGBTQI+. Somos um espaço de acolhida a todas e todos”, destacou.

O educador salienta ainda que a Comunidade tem fortalecido ações que focam desde o empoderamento feminino indígena, incentivando a formação e o fortalecimento de associações de mulheres indígenas, passando por ações de educação popular.

“Aqui vale lembrar uma importante ação de preparação para o vestibular direcionado a jovens indígenas no Tarumã-Açu, em parceria com o PET da Ufam (Universidade Federal do Amazonas); também desenvolvemos um trabalho de formação e prevenção de violência domésticas com mulheres indígenas associadas à Amarn (Associação de Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro)”, finalizou.

Para ajudar, os interessados podem entrar em contato com a instituição pelo número (92) 98426-1616 ou doar qualquer quantia pelo pix 00572034237.