Comunidade de Manacapuru produz 2 mil toneladas de farinha por mês com casa mecanizada

Da Redação

MANAUS – A casa mecanizada de farinha do Distrito de Repartimento de Tuiué, no interior do município de Manacapuru, distante a 68 quilômetros de Manaus, que começou a funcionar no primeiro trimestre deste ano, tem capacidade de produção de até duas toneladas do alimento por mês, segundo a Secretaria de Produção Rural (Sepror) do governo do Amazonas.

“Estamos dividindo esta importante conquista dos produtores de Repartimento de Tuiué, mostrando a força da agricultura familiar no interior do estado”, disse o coordenador da Sepror na região, Wanderley Barroso.

A casa de farinha foi entregue no início do ano pelo governo do estafo, por meio da Secretaria de Produção Rural (Sepror), o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), e em parceria com o Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS). O local é administrado pela Cooperativa Mista de Agricultores do Projeto de Assentamento Aquidabam (Coomapra), com 50 sócios.

Os produtos, com origem na agricultura familiar local, são vendidos no próprio povoado e nas feiras de Manacapuru e Manaus. Trata-se de uma considerável produção de polpa de cupuaçu, que chega a alcançar 50 toneladas por safra, abacaxi (100 milheiros por safra), além de açaí, goiaba, banana e pupunha.

“Os produtores da comunidade de Tuiué recebem assistência técnica dos profissionais do Idam e da Sepror, visando melhorar produtividade e qualidade da farinha”, destacou o titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior.

Sobre o Distrito

O Distrito do Repartimento de Tuiué, distante duas horas de viagem de lancha da sede do município, Manacapuru, foi o primeiro projeto de assentamento da reforma agrária do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Amazonas, em meados da década de 1980. Hoje, 500 famílias, aproximadamente 2 mil pessoas, moram no local.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

VOLTAR PARA O TOPO