6 de março de 2021

Marcela Leiros – Da Revista Cenarium

MANAUS – Organizada por correligionários e aliados políticos do senador Eduardo Braga (MDB), uma carreta reuniu pesssoas na orla da Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus, neste domingo, 21, para pedir o afastamento do governador Wilson Lima (PSC) por conta da não flexibilização total do comércio.

Chico Preto em conversa com manifestantes neste domingo, 21.(Reprodução/Internet)

O Amazonas é um dos nove Estados do Brasil com maior índice de infecção do novo coronavírus disseminado em aglomerações. A alta do número de infectados causa uma sobrecarga nos leitos dos hospitais públicos e particulares. Há 30 dias, a média diária de mortos era de mais de 100 pessoas, obrigando o Poder Público a fechar parte do comércio. Nessa sexta-feira, 19, houve uma flexibilização alternativa com a queda do número mortos.

Até drones foram usados para gravar a manifestação na cidade. (Reprodução/Internet)

Com o apoio de políticos oposicionistas ao governo e candidatos derrotados nas eleições municipais de 2020, os manifestantes se aglomeravam entre os carros e bandeiras. Foi possível identificar até o uso de drones para fazer cobertura aérea da fila de carros.

O jornalista do grupo Diário de Comunicação na manifestação da Ponta Negra. (Reprodução/Internet)

Entre os líderes do movimento, estavam o jornalista Alex Braga, que já trabalhou na assessoria de imprensa de Eduardo Braga, o ex-vereador Chico Preto (DC) e Sérgio Kruke, candidato ao cargo de vereador em 2020, que, desde as eleições de 2018 – mobiliza atos pró-Bolsonaro no Amazonas. A ação envolveu ainda correligionários do deputado estadual Delegado Péricles (PSL), novo aliado de Braga na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Segundo ato

Esta é a segunda manifestação do grupo oposicionista promovida contra Wilson Lima neste mês de fevereiro. Na manhã desta terça-feira, 16, em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), uma pequena aglomeração foi dispersada pela Polícia Militar (PM). O ato aconteceu na avenida Mário Ipiranga, zona Sul da capital amazonense, e teve baixa adesão. As reinvindicações pediam a redução no preço da gasolina e a flexibilização do comércio.

O ato aconteceu no dia 16, na avenida Mário Ipiranga, zona Sul da capital amazonense, e teve baixa adesão.(Reprodução/Internet)

Wilker Barreto (Podemos), um dos parlamentares que compõem a chapa oposicionista na Aleam, compareceu ao local e discursou, conforme vídeos compartilhados na própria rede social do deputado. “Estou na Assembleia do Amazonas e fiz questão de ir ao encontro dos manifestantes, pois precisam ser ouvidos”, escreveu Barreto.

Abertura gradual

À REVISTA CENARIUM, o infectologista João Hugo Abdalla Santos reforçou que o retorno de atividades não essenciais deve ser gradual. “Não adianta o comércio fazer o seu papel de distanciamento, se as pessoas em casa não fazem. Então você tem, por exemplo, restaurantes funcionando com mesas obedecendo o distanciamento social com álcool em gel e tudo mais, mas em casa as pessoas promovem festas particulares. O mesmo comportamento que você tem na rua, tem que ter em casa”, afirmou o médico.

O médico ainda reforçou que o retorno à “vida normal só será possível quando a gente conseguir ter uma vacinação adequada, com 80% da população vacinada. Até lá temos que manter todos os cuidados e todas as condutas necessárias”.

Os manifestantes se aglomeravam entre os carros e bandeiras.(Reprodução/Internet)

Terceira onda

As recomendações médicas alertam para a previsão alarmante sobre uma terceira onda da Covid-19 no Amazonas, com novas variantes que demonstram maior letalidade e transmissibilidade duas vezes maior que a anterior. Que de acordo com o pesquisador e doutorando do Programa de Biologia do Instituto Nacional de Pesquisas do Amazonas (Inpa), Lucas Ferrante, pode ser mais letal que a segunda onda.

Cientistas afirmam que ‘vacinação expressa’ pode evitar perda de eficácia de imunizantes contra cepa P.1

A nova variante da Covid-19 denominada como P.1 chegou a ser encontrada por pesquisadores em 91% das amostras de pacientes do Amazonas com código genético sequenciado em janeiro deste ano. Ainda de acordo com nota técnica da Fiocruz Amazônia, também foram identificadas 18 novas linhagens com uma análise de 250 genomas do novo coronavírus de pacientes do Estado.

Doutorando do Inpa alertou sobre aumento na taxa de transmissão de Covid-19 em todo o País, principalmente, no Estado do Amazonas (Reprodução/ Internet)

“Precisamos deixar bem claro que essa variante que surgiu aqui no Amazonas tem uma taxa de transmissibilidade duas vezes maior do que a que causou a segunda onda. Então, é muito mais importante não só frearmos a ocorrência da terceira onda e impedir isso, mas frearmos, de fato, a circulação do vírus na população, para impedir que novas mutações surjam e que nós tenhamos uma variante resistente às vacinas de mercado”, disse Ferrante em audiência pública na Aleam.

Respostas

A reportagem da REVISTA CENARIUM entrou em contato com os citados na matéria. E, até o fechamento da publicação, não obteve respostas sobre as demandas questionadas.

Chico Preto alegou que não possui relações políticas com Eduardo Braga. “Fui como cidadão que desaprova a gestão do governo atual. Não tenho nenhuma ligação com o senador Eduardo Braga e até onde sei a manifestação foi coordenada pelos amazonenses indignados com o Wilson Lima. Fui à manifestação por isso”, disse.