Participe do nosso grupo no Whatsapp Participe do nosso grupo no Telegram
15 de maio de 2021

Dólar

Euro

Manaus
23oC  29oC
Acompanhe nossas redes sociais

This post is also available in (Post também disponível em): English (Inglês)

Com informações do O Globo

RIO DE JANEIRO – A CPI da Covid no Senado vai receber de representantes indígenas uma lista de pelos menos 15 tópicos a serem apurados pela comissão que vai investigar as ações e possíveis omissões do governo federal durante a crise sanitária nas aldeias. Entre as denúncias está uma orientação do próprio Ministério da Saúde para o uso de ivermectina e cloroquina em índios do Amazonas que apresentem sintomas da doença.

O tratamento do chamado “kit Covid” é questionado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e cientistas, uma vez que não existe nenhuma comprovação da eficácia dos medicamentos contra o coronavírus.

Ofício obtido pelo GLOBO confirma a indicação do “kit Covid” feita pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), vinculada ao Ministério da Saúde. Ele será enviado à CPI como prova, para que o colegiado possa cobrar providências sobre o que os índios apontam como “abandono e negligência” do governo federal no combate ao vírus entre esses povos.

Ofício obtido pelo GLOBO Foto: Editoria de arte
Ofício obtido pelo GLOBO (Reprodução/O Globo)

No documento distribuído pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) de Vilhena (RO) a coordenadores da Fundação Nacional do Índio (Funai) e lideranças indígenas de 144 aldeias da Amazônia, fica clara a recomendação dos medicamentos para “todos os que apresentarem sintomas como dores no corpo, tosse, dor de cabeça, febre, coriza, dificuldade para respirar, dor de garganta, perda do olfato ou paladar”.

O GLOBO fez contato com a coordenadora da DSEI Vilhena que assina o documento da Sesai, Solange Pereira Vieira Tavares, mas ela não retornou às mensagens nem às ligações. A Sesai e o Ministério da Saúde também não se pronunciaram.

Encontro com senadores

Profissionais de saúde atendem população da aldeia Campo Alegre, nos arredores de Tabatinga (AM) Foto: Jorge William / Agência O Globo
Profissionais de saúde atendem população da aldeia Campo Alegre, nos arredores de Tabatinga (AM) Foto: Jorge William / Agência O Globo

Os representantes indígenas vão usar o encontro virtual com senadores nesta sexta-feira, 29, para apresentar suas demandas. Representando a CPI, estará Humberto Costa (PT-PE), que é também presidente da Comissão de Direitos Humanos.

Os indígenas estarão representados pela deputada federal Joênia Wapichana (Rede-RR), coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas; a ativista Maial Paiakan e os advogados Luiz Eloy Terena e Samara Pataxó.

“Vamos levar aos senadores a nossa preocupação com a alta taxa de mortalidade de indígenas, principalmente em contexto urbano, e denúncias de que garimpeiros aliciaram índios para trocar vacina por ouro, tudo isso em uma situação de baixa cobertura vacinal e diante do agravamento das invasões das terras indígenas durante a pandemia” adianta Joênia

Os indígenas também apresentarão à CPI um relatório sobre as missões das Forças Armadas em áreas mais afastadas. De acordo com o documento, algumas foram úteis e fortaleceram as ações de combate à Covid-19, mas outras foram consideradas um “teatro” e acabaram por levar mais risco do que ajuda humanitária.